Brexit: o que pode mudar para os viajantes
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Brexit: o que pode mudar para os viajantes

amandanoventa

27 Junho 2016 | 08h37

viajar-inglaterra-amanda-viaja

Com 52% dos votos, o Reino Unido está deixando a União Europeia. Ainda estamos descobrindo quais serão as consequências do Brexit, mesmo porque seu efeito pode demorar alguns anos para aparecer.

Guga Chacra, especialista em política internacional, explicou aqui no Estadão como o Brexit venceu apesar de seis em cada dez pessoas de Londres terem votado a favor da permanência do Reino Unido na União Europeia:

“Nas grandes cidades o apelo de populistas, sejam eles de esquerda ou de direita, é bem menor do que no interior. Um britânico que vive na fronteira da Inglaterra com o País de Gales tem uma convivência menor com imigrantes. Possui naturalmente mais medo do diferente, sente uma certa nostalgia pelo passado. Já alguém que vive em North London tem na sua roda de amigos italianos, brasileiros, belgas, egípcios e israelenses. Convive e gosta deste multiculturalismo liberal. Seu chefe no banco pode ser um espanhol. Seu subalterno um escocês. Todos falam inglês, gostam de futebol, planejam férias na Croácia e veem Game of Thrones”, explica Guga.


Para o setor de turismo, algumas mudanças também podem ser vistas Segundo uma matéria publicada no site da revista americana Condé Naste Traveler, estes são os efeitos que os viajantes poderão sentir após o Brexit:

O preço das passagens aéreas deve aumentar

Companhias aéreas da Europa como Ryanair e easyJet chamadas de low cost (baixo custo) por não cobrarem uma série de taxas que outras companhias regulares costumam cobrar, conseguiram fazer com que voar para o Reino Unidos de várias partes da Europa ficasse mais barato do que nunca. Atualmente, existe o acordo “Open Skies” que permite mais rotas e menores preços entre a UE e seus países-membros. Agora que o Reino Unido decidiu deixar a União Europeia, é provável que novos acordos aéreos tenham que ser negociados. Isso significa que os preços para o Reino Unido podem aumentar.

O serviço de turismo pode piorar no Reino Unido

A Condé Naste Traveler reporta que 70% dos empregos no setor de viagem e turismo em Londres são dependentes de imigrantes. Como uma das propostas do Brexit é fazer uma reforma na política de imigração e conter o número de imigrantes que chegam no Reino Unido, é possível que o setor de viagem e turismo passe a trabalhar com menos funcionários. Estima-se que 63 mil empregos sejam perdidos.

Mas o valor da libra também pode cair

Sempre foi mais caro para os brasileiros viajarem para o Reino Unido pelo valor da libra. Essa situação vai continuar, mas pode ficar um pouco melhor. Assim que foi anunciada a saída da UE, o valor da libra caiu no mercado.

O número de turistas no Reino Unido pode cair

Londres é uma das cidades mais visitadas do mundo e, mesmo fora da capital, as cidadezinhas recebem turistas do mundo todo. Mas conforme relata a Condé Naste Traveler, o entusiasmo dos turistas para visitar o Reino Unido deve diminuir com o Brexit: um terço dos viajantes da Alemanha, Itália e Espanha – e um quarto da França – disseram que estariam menos dispostos a viajar para o Reino Unido depois da saída; 10% dos viajantes do Canadá e 12% dos americanos disseram o mesmo.

Amanda escreve sobre viagens. Acompanhe o blog e suas aventuras através do Facebook em Amanda Viaja e pelo Instagram em @amandanoventa.

 

Posts relacionados:

Os 10 melhores lugares para viajar em 2016

O país que não gostava de tirar férias

8 dicas para viajar com o dólar alto e economizar