4 lições de vida que as viagens nos ensinam
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

4 lições de vida que as viagens nos ensinam

amandanoventa

27 Janeiro 2015 | 09h55

licoes-vida-viagem-amanda-viaja

Já sabemos que viajar é importante para conhecermos outras culturas, entendermos algumas questões políticas e religiosas do mundo ou simplesmente nos divertimos.  Mas viajar pode nos trazer algumas lições às vezes imperceptíveis a respeito do nosso comportamento e atitudes do dia-a-dia: como lidamos com nosso próprio dinheiro, de que forma nos relacionamos com as pessoas, como enxergamos nosso tempo e listamos nossas prioridades. Veja se você se identifica com algumas delas:

1. Faz sentido guardar dinheiro. Essa história que ouvimos desde crianças de que precisamos guardar dinheiro nunca fez muito sentido – guardar dinheiro pra que? Comprar um carro? Não, dinheiro perdido. Ir ao outlet fazer compras? Não, muita coisa eu compro e nem uso. Celular novo? Vai ficar ultrapassado em um ano.

Guardar dinheiro passa a fazer sentido quando começamos a viajar: “Ainda bem que eu guardei dinheiro pra vir até aqui”. Isso acontece pelas nossas experiências individuais durante as viagens. Quando viajamos fica mais fácil se libertar para fazer coisas que você nunca fez como aprender um novo idioma, voar de balão mesmo com medo de altura, se enfiar numa jaula com tubarões em volta, escalar montanhas e até passar horas de frio porque queria conhecer a neve. Todas essas experiências vão formando a sua identidade de forma que depois de viajar você já não é a mesma pessoa.


2. Fazer amigos durante uma viagem pode ser mais fácil do que na cidade onde moramos. Até hoje me arrependo por não ter pedido o contato da Jesse, uma canadense que conheci na Patagônia. Eu sou dessas que conheço as pessoas durante as viagens e gostaria que elas convivessem comigo no dia-a-dia. A amizade acontece pela fácil conexão e afinidade durante uma viagem. Chegamos ali pelo mesmo objetivo e estamos abertos ao novo, não importa a nacionalidade.

3. Eu não conheço nada do mundo. Sempre me surpreendo durante as viagens, descubro algo que nem sabia que existia e fico me perguntando quantas coisas mais existem no mundo que eu nunca ouvi falar! E sabe o que é pior? Não vai dar tempo de conhecer tudo.

4. Não existe “um dia eu viajo”. Você já percebeu que usamos a expressão “um dia” para as coisas que desejamos, mas no fundo sabemos que não vai acontecer? “Um dia eu ainda ganho na loteria” ou “Quem sabe um dia eu compro um carro desses?” ou “Um dia ainda faço essa viagem”. Ou seja, nunca vai acontecer. Essa expressão também é uma ótima maneira de jogar nas mãos do universo aquilo que você não quer se esforçar para fazer. Porque esse “um dia” não existe. O que existe é viagem planejada, passagem comprada e reserva feita – ações que só dependem de nós mesmos, do nosso trabalho de arregaçar as mangas para fazer acontecer. Já viu universo bater na porta e dizer: “Aquele ´um dia` chegou e eu vim trazer a sua viagem”. Não, né?

Acompanhe o blog e as aventuras de Amanda através do Facebook em Amanda Viaja e pelo Instagram em @amandanoventa.

Posts relacionados:

A terapia da viagem

Viajar é preciso

7 resoluções para adotar se você quiser viajar no ano que vem

 

Foto: arquivo pessoal da autora