É impressão minha ou São Paulo está muito legal?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É impressão minha ou São Paulo está muito legal?

amandanoventa

26 Junho 2017 | 08h41

Chega a ser um absurdo elogiar São Paulo. Não estamos acostumados. Mas vou ter que lançar aqui um elogio: a cidade está muito legal e cheia de coisas pra fazer. A expressão “São Paulo tem tudo” nunca fez tanto sentido pra mim como nos últimos tempos. Um textozinho não é suficiente para contar o que vem rolando na cidade, mas vou arriscar.

Começo pelos lugares incríveis que o Facundo Guerra criou. É tão clichê falar dele, mas impossível não mencioná-lo quando se fala de empreendimento de lazer e cultura diferentão em São Paulo. O Facundo deveria se multiplicar para que tívéssemos mais espaços como o Mirante 9 de Julho ou Bar dos Arcos no subsolo do Teatro Municipal.

Mas alguém além dele anda pensando em valorizar os espaços da cidade. Você já foi ao Vila Butantan? Um espaço com estrutura moderna de containers, grafites coloridos, música e food truck daqueles que a gente vê na Europa e acha que está longe de existir igual no Brasil. Mas existe – em São Paulo.


E é como diz um amigo meu que mora na cidade: eu adoro viajar, mas adoro saber que São Paulo existe para voltar.

O mundo inteiro está aqui. Só para citar alguns países que me lembrei agora: tem a feira boliviana, a festa alemã, restaurante de palestinos e refugiados ganhando prêmio (o Al Janiah) e como se não bastasse a Liberdade dos japoneses, agora temos também a moderna Japan House – uma espécie de centro de arte que o governo japonês criou e escolheu São Paulo, junto a Londres e Los Angeles, para serem os únicos lugares do mundo a receberem o museu.

Quem ainda faz a piada de que ‘paulistano só gosta de shopping’ está tão sem graça quanto o tio do ‘é pavê ou pá cumê’. As pessoas aqui estão usando a cidade. Só pra citar (mais) alguns exemplos: tem a festa Mamba Negra que acontece uma vez ao mês em uma bimboca qualquer de São Paulo (estacionamentos desativados, cinemas, praças), espaços marginalizados pelo poder público. A avenida Paulista mais do que aberta aos domingos, está sendo usada, lotada. E até carnaval de rua dos bons nós temos agora.

E esse movimento todo não é sobre a gestão de um ou de outro. É sobre pessoas. A cidade ainda é cheia de defeitos e muitas melhorias a serem feitas. Mas as pessoas cansaram de esperar e começaram a ocupar um espaço que é delas (coisa que os europeus vêm fazendo há muito tempo em seus países e que invejamos tanto).

Estamos longe de viver numa cidade perfeita. Mas passei muito tempo oscilando entre o amo e odeio São Paulo. Hoje decidi que vou amar.

Amanda escreve sobre viagens. Acompanhe através do instagram em @amandanoventa, Facebook em Amanda Viaja e youtube Amanda Viaja.

 

Posts relacionados:

Rixa entre São Paulo e Rio. Tão 1990

Ainda dá tempo! 7 lugares no interior de São Paulo para curtir o feriadão

Copenhagen na Dinamarca: os dez passeios imperdíveis

Mais conteúdo sobre:

São Pauloo que fazer