Lugares que eu deixo para depois
As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lugares que eu deixo para depois

amandanoventa

09 Fevereiro 2017 | 09h15

viagem amanda noventa

Se você me perguntar se quero conhecer o mundo inteiro – ‘sim, quero conhecer o mundo inteiro’. Mas como isso é quase impossível, eu tenho uma seleção natural para a escolha das viagens. Se o coração não bater forte quando ouvir falar de um destino, ele fica ali, na lista de espera.

Esses são lugares precisam de um empurrãozinho para que eu vá até lá, um boa oportunidade. Pode ser uma daquelas viagens que você só vai porque os amigos vão, porque alguém decidiu se casar lá ou pode ser apenas uma viagem a trabalho, quem sabe.

A escolha dos destinos que eu deixo para depois não tem explicação. Não é racional e nem acho que eles não façam jus a todos os adjetivos clichês de viagem – mágico, incrível, apaixonante. É porque não dá para escolher todos mesmo.

Portugal é um deles. Super na moda, sei que é lindo, o Brasil quer morar lá mas meu coração ainda não bateu forte para fazer essa viagem. Ele anda bem pop por aí, mas não adianta aparecer toda hora na minha timeline que não tenho planos por enquanto.

A Índia eu quero um dia, mas não estou com vontade e nem preparada. Fica pra mais tarde.

A Tailândia eu fui sem vontade e descobri que não dá pra viajar sozinha para um lugar que não se tem vontade. Foi chato. Pra viajar sozinha, mais do que coragem, tem que desejar o destino. Ali faltou desejo.

No Brasil tem Jeri, que é um absurdo não morrer de vontade de conhecer, mas não morro. Sigo esperando uma boa oportunidade.

O Uruguai fazia parte desse time; um dos poucos que faltava para eu ‘zerar’ a América do Sul. Até que a tal oportunidade veio. Meu namorado precisava vir a trabalho, tornou a viagem o meu presente de Natal e reservou uns dias só pra gente. Adorei a ideia, mas lá no fundo ainda havia uma voz baixinha me perguntando se eu estava certa em ter deixado o país na lista de espera. Não estava. Não sei se é culpa do romance, do vinho tannat, dos restaurantes pé na areia e um bangalô no meio da lagoa. Mas quando percebi já estava envolvida com a viagem confessando que nunca imaginei que o Uruguai fosse assim, tão bom.

Alguns lugares só precisam de uma oportunidade. Você pega essa oportunidade e vai atrás das melhores experiências que o destino tem a oferecer. Não tem como se arrepender.

Acompanhe Amanda e o blog no Facebook em Amanda Viaja ou através do Instagram em @amandanoventa.

 

Posts relacionados:

A dor e a delícia de ter um espírito livre

As 10 praias mais bonitas do mundo

Viajar deixa as pessoas mais felizes do que bens materiais

 

 

Mais conteúdo sobre:

viagemviajaramanda viajauruguai
0 Comentários