O que e onde comer em Toronto: gastronomia do Canadá e internacional

O que e onde comer em Toronto: gastronomia do Canadá e internacional

De sanduíches a sofisticadas refeições, Toronto apresenta um giro pela culinária internacional e ainda sabores e vinhos do Canadá. Também tem o mercado St. Lawrence e um empório gourmet dentro da Saks, para quem gosta de descobertas gastronômicas

Nathalia Molina

08 Agosto 2017 | 15h34

Toronto é apetitosa.

Onde tem gente de todo canto do mundo, tem comida de todos. Afinal, as pessoas carregam para onde vão suas raízes. Toronto oferece, então, muitas possibilidades para se deliciar a quem está em busca de culinárias diversas. Endereços indianos, por exemplo, se concentram no Gerrard India Bazaar (ou a Little India), no lado leste da cidade. Gregos também são facilmente encontrados nessa região, só mais acima no mapa de Toronto, ao longo da Danforth Avenue. Para provar várias culinárias a poucos passos de distância, siga para o multicultural bairro de Kensington Market. Entre os destaques locais está a Torteria San Cosme, com seus sanduíches e churros.


Nos restaurantes, Toronto também oferece um pouco de tudo em matéria de culinária mundial, em bonitos salões ou ensolaradas varandas no verão. Você encontra desde um delicioso restaurante italiano como o Terroni — com unidades em Los Angeles e várias na cidade canadense (uma delas dentro do antigo tribunal do condado de York, primeiro nome de Toronto) — até o Leña, recém-aberto e já na lista dos melhores restaurantes da metrópole.

Varandas dos restaurantes no verão – Fotos: Nathalia Molina

Com carne de corte argentino, o Leña foi um dos cerca de 200 restaurantes que participaram da última edição do Summerlicious, espécie de restaurant week de Toronto no verão; há um evento semelhante no inverno, o Winterlicious, realizado entre janeiro e fevereiro. Mesmo que prefira deixar a carne argentina para a próxima ida a Buenos Aires, o Leña tem um lindo bar na entrada: dá vontade de passar a noite ali batendo papo e tomando drinks (o Old Fashioned é considerado a especialidade da casa).

Carne argentina à mesa ou old fashioned no bar do Leña

Sanduíches e churros no Kensington Market, na Torteria San Cosme

Um lugar que já produziu bebida e que virou ponto turístico de Toronto é o supercharmoso Distillery Historic District. Um dos cinco restaurantes ali instalados é o excelente mexicano El Catrin, sob o comando do chef Olivier Le Calvez. É uma delícia de lugar, tanto no ambiente de luz baixa quanto em tigelas de guacamole e tacos. Antes um complexo industrial ocupado por uma destilaria, o Distillery Historic District abriga restaurantes, bares e cafés.

El Catrin, no Distillery Historic District

Tacos com cerveja

Garanta a sobremesa nas prateleiras da Soma Chocolate ou nas bolas do Greg’s Ice Cream, ambos nas listas dos melhores da cidade em suas categorias gastronômicas. O programa pode ser a pedida para o fim de um ótimo dia em Toronto.

Guloseimas na Soma

Chocolate no prédio histórico em Toronto

De comfort food à alta gastronomia

Já durante um dia de passeio pelo centro da cidade, para comer comfort food do Canadá, o endereço pode ser o Bannock, numa esquina diante do prédio antigo da prefeitura. É muito bem localizado, pertinho do megashopping Eaton Centre e da Nathan Phillips Square, praça onde o nome da cidade brilha em cores no verão ou no inverno de Toronto.

Comfort food no centro da cidade

O Bannock tem invenções como hambúrguer de peru com abacate e pizza de poutine (prato típico do Canadá francês, com batatas fritas e molho de carne), passando por mac & cheese (macaroni and cheese, receita americana de macarrão com queijo). Se gostar de mirtilo, peça um Berry Bliss para beber o suco puro da fruta. Se a ideia for comprar algo rapidamente, o restaurante oferece também um balcão para comprar lanches para viagem.

Hambúrguer de peru com abacate

Suco de mirtilo

Comandado pelo chef Darren Naduriak, o Bannock faz parte do grupo Oliver & Bonacini, assim como o Leña. De tradição gastronômica em Toronto, o grupo tem à frente o chef Anthony Walsh e administra ainda casas como o estiloso Luma, restaurante no lounge do TIFF Bell Lightbox, a casa do Festival Internacional de Cinema de Toronto, que batiza o prédio (Toronto International Film Festival, o TIFF). Fica na King Street, no meio da região chamada de Entertainment District.

Prédio do TIFF com o restaurante Luma, na King Street

Nessa mesma rua abriu em 2009 o Buca, um dos italianos mais aclamados de Toronto. O endereço da King se mudou recentemente para a Portland Street, mas o lugar a se dirigir para experimentar a inventividade do chef Rob Gentile em grande estilo e doses de frutos do mar é o restaurante de Yorkville. Nos fins de semana, o brunch (das 10h30 às 15 horas) tem no menu itens como crespelle, pequenas panquecas, sobrepostas com recheio de creme e cobertas por xarope de maple com grappa.

A lista de renomados restaurantes na cidade não para de crescer. Só em 2017 inclui o Grey Gardens, do chef Mitchell Bates, por três anos no comando do nova-iorquino Ko, com duas estrelas Michelin. O Grey Gardens serve vinho de diferentes países por taça, o que permite provar diversos canadenses também, entre eles tintos de Niagara — na carta, há também cidras de Ontario.

Outra novidade que promete é o primeiro restaurante de Akira Back no Canadá, no novíssimo e requintado Bisha Hotel Toronto, em soft opening até setembro. O snowboarder que virou chef é famoso por levar seu gosto pela aventura para sua cozinha, que junta a origem asiática a influências americanas. Akira, que participou de programas na TV, como o Iron Chef America do Food Network, mantém outras casas em Las Vegas (dentro do Bellagio e do Mandalay Bay), em Dallas, em Dubai e em várias cidades da Ásia. A inauguração do restaurante de Toronto está prevista para o outono canadense deste ano. Ao todo, o projeto do Bisha prevê quatro restaurantes, um deles no 44º andar, um rooftop voltado para o Lake Ontario e para a CN Tower.

Na torre de Toronto, aliás, também é possível ter um dinner with a view. O nome do restaurante já diz tudo: 360. Giratório, ele está a cerca de 350 metros de altura. O menu está a cargo de John Morris desde 2016, quando o chef deixou o Le Café, do National Arts Centre, restaurante especializado em sabores canadenses que funciona dentro do centro de artes na capital do Canadá, Ottawa.

Dinner with a view na CN Tower

Sobremesa enfeitada com lascas de folha de ouro

O 360, da CN Tower, também ostenta ter a mais alta adega do mundo, título registrado no Guinness World Record Book, fica a 351 metros. Aberta em 1997, acomoda 9 mil garrafas de cerca de 500 rótulos canadenses e estrangeiros.

Mercado de produtor e empório gourmet

Ali perto, há uma opção bem mais relaxada para provar sabores canadenses, em outra proposta: lanches rápidos e beliscos para levar para o hotel. O St.Lawrence Market, assim como a CN Tower, é um dos pontos turísticos de Toronto e vale ser visitado especialmente por quem curte descobrir mercados de produtores locais.

Eu recomendo fortemente que você compre frutas vermelhas para ir comendo durante o dia ou à noite no hotel. Amoras, framboesas… O St. Lawrence, no entanto, não vende apenas frutas e verduras. Você pode comprar queijos, sanduíches e sobremesas deliciosas. Vá de peameal bacon, da Carousel Bakery, e termine com uma tortinha da Eve’s Temptations, no andar de baixo.

Sanduíche de peameal bacon

Na linha de empório, o Pusateri’s é indispensável para viajantes chegados a explorar prateleiras. A família de imigrantes da Sicília abriu seu primeiro negócio em Toronto em 1963. O Pusateri’s está à frente do Food Hall dentro da Saks Fifth Avenue — a loja de Toronto é única da marca com área de comida. Aberto no ano passado, o lugar oferece de ingredientes gourmet a tentadores sanduíches para comprar para a viagem, além da possibilidade de degustar comida japonesa com espumante. Tudo ali, antes ou depois das compras, bem no centro da cidade. É um andar para se perder com gosto, com perdão do trocadilho.

Para beber champanhe antes ou depois das compras

Sushi servido no restaurante do Food Hall da Saks, comandado pelo empório Pusateri’s

Para provar e presentear com um legítimo chocolate canadense, experimente as criações de David Chow. O pastry chef inventa combinações como figo com vinho do porto e vinagre balsâmico. Coloridos, os pequenos quadrados ou círculos são tão bonitos quanto gostosos. O Saks Food Hall é assim, uma surpresa e uma delícia a cada esquina, bem como Toronto.

Chocolate de figo com vinho do porto e vinagre balsâmico, criado por David Chow

__________

Leia os outros textos da série 5 x TORONTO:

.5x TORONTO: CULTURA, GASTRONOMIA, COMPRAS, PAISAGEM E ENTRETENIMENTO

.BAIRROS E MUSEUS DE TORONTO: CULTURA EM TODA PARTE

.COMPRAS EM TORONTO: DO EATON CENTRE A LOJAS DE MARCA E COM DESCONTO

.DA CN TOWER A OUTROS PONTOS TURÍSTICOS: A PAISAGEM URBANA DE TORONTO


* Nathalia Molina é jornalista de viagem e especialista em Canadá. Também escreve o Como Viaja, com dicas e experiências no Brasil e no exterior. Acompanhe pelo instagram @ComoViaja e pelo facebook ComoViaja

0 Comentários