Voo em Vancouver no FlyOver passeia pelo Canadá visto de cima

Voo em Vancouver no FlyOver passeia pelo Canadá visto de cima

FlyOver Canada, em Vancouver, leva viajante num voo sobre o país. Mostra aurora boreal, cataratas de Niágara, geleiras e parques

Nathalia Molina

18 Janeiro 2017 | 17h21

É praticamente um countrytour pelo ar. Você está em Vancouver, no oeste do Canadá, mas faz um voo pelo país de ponta a ponta, passando por suas paisagens icônicas, com o FlyOver Canada. Niagara Falls, as cataratas em Ontario, estão lá. Os tons, do amarelo ao vermelho, do outono canadense em Québec, também.


O FlyOver Canada é um simulador de voo — quem já esteve na Disney vai lembrar do Soarin’ do Epcot. Adorei a ambientação promovida pelos efeitos especiais que acompanham a exibição. Senti o vento, o frio e os aromas dos lugares visitados. Achei uma delícia especialmente o cheiro da floresta. O sobrevoo leva em torno de 25 minutos.

Logo na entrada, os visitantes assistem a um filme num espaço após a recepção. Fui convidada a experimentar a brincadeira em dezembro, quando estava no ar a versão de Natal. Entrei no FlyOver atrás de uma turminha de escola, que aceitou empolgada a missão de ajudar Papai Noel a encontrar, ao longo da exibição, alguns duendes fujões. O velhinho e Mamãe Noel aparecem nos curtas antes da entrada na sala de exibição.

ENTRADA DO FLYOVER CANADA - Fotos: Nathalia Molina

Meninada pronta para voar – Fotos: Nathalia Molina

Lá dentro, a tela arredondada tem 20 metros de extensão. A cadeira suspende e se projeta na direção da projeção (há uma rede sob o assento para você guardar sua bolsa antes de começar o sobrevoo). O filme não se atém muito às cidades. Mostra Toronto e Vancouver — senti falta de Montréal e Québec. A sequência de imagens privilegia os cenários estonteantes do país, compreensível em se tratando do segundo maior do mundo, com uma natureza tão diversa. Sem narração, é acompanhada apenas por música instrumental.

Mergulhei na imersão proposta e me senti dentro da paisagem canadense. Os blocos de gelo da província de Newfoundland, icerbergs com mais de 10 mil anos. Depois, as linhas dos verdes vinhedos do Okanagan Valley, região vinícola de British Columbia. Por fim, o brilho da aurora boreal na província de Manitoba, na cidade de Churchill. Ah, é proibido filmar ou fotografar a experiência. Por isso, aqui você só encontra fotos minhas feitas fora da sala de exibição ou esta imagem de divulgação abaixo.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Normalmente os visitantes experimentam a Ultimate Flying Ride, com o filme original desenvolvido para a atração. Como eu vi a versão natalina, o clima de festas foi adicionado à projeção, com pólo norte, renas e cheiro de canela. Ao longo do ano, há também uma versão de Halloween e uma temporada em que os visitantes fazem dois voos, o regular e um extra sobre atrações da China, para celebrar o Ano Novo Chinês. O Flight of the Dragon (em português, Voo do Dragão) está em cartaz agora e segue até 26 de fevereiro.

Bilheteria em dezembro ganha a fofura de Noel

Bilheteria em dezembro ganha a fofura de Noel

Quando e onde

O FlyOver Canada é uma atração para qualquer época do ano. Eu recomendaria até, se possível, evitar o verão, quando a fila pode chegar a duas horas de espera — daí existir um ingresso com entrada expressa, o fastlane ticket.

Como o horário de funcionamento é longo (todo dia, das 10 às 21 horas) e a localização é prática (na região do porto, chamada de waterfront), dá para encaixar entre um passeio e outro. A atração fica no Canada Place, aberto originalmente como o pavilhão do Canadá na Expo 86, evento realizado em Vancouver em 1986. Virou centro de convenções e concentra as principais atividades na área do porto de Vancouver, como as celebrações do réveillon e do aniversário do país, em 1º de julho.

Canada Place

Canada Place

A baía vista da lateral do prédio

A baía vista da lateral do prédio

Você caminha à esquerda do prédio, sobre The Canada Trail, um trajeto com os nomes de províncias e cidades canadenses escritos no chão. No finzinho, uma escada leva ao FlyOver Canada. Atenção à altura mínima exigida para a visita: 1,02 metro.

Com os Pés em Vancouver no chão do Canada Place - Foto Nathalia Molina @ComoViaja

Literalmente com os pés em Vancouver


* Nathalia Molina é jornalista de viagem e especialista em Canadá. Também escreve o Como Viaja, com dicas e experiências no Brasil e no exterior. Acompanhe pelo instagram @ComoViaja, pelo facebook ComoViaja e pelo canal do Como Viaja no YouTube