Amsterdã para comer

Amsterdã para comer

Mari Campos

30 Junho 2017 | 17h49

Apresentação impecável nos pratos do Madam. Crédito: Mari Campos

Eu já contei aqui sobre a vocação gastronômica da incrível Roterdã. Foi nos restaurantes da cidade que fiz indiscutivelmente minhas melhores refeições de toda a última viagem pela Holanda. Mas é preciso dizer que em Amsterdã também comi bem, sim.

Dos restaurantes que provei, tenho quatro favoritos, todos eles bem diferentes entre si. Para um almoço bem descontraído, o Canvas (Canvas op de 7e), instalado no Volkshotel. O lugar é uma mistura de café+restaurante durante o dia, com direito a um rooftop delicioso, e menu bem enxuto, de pouquíssimas opções – mas tudo ali custa pouco. Meu almoço completo, com bebida, saiu menos de vinte euros. À noite vale voltar só altas horas, quando o café/restaurante dá lugar a um bar+club pra lá de animado (e com uma ótima e eclética playlist).

Também recomendo o C Restaurant para o almoço. Localizado numa antiga redação de jornal, seu nome tem a ver com graus Celsius: os pratos do chef Judge Michiel van der Eerdeali são separados no menu de acordo com sua temperatura – 0-20C (cru e frio), 40-80C (baixa temperatura), 100C (cozidos) e 200C (grelhados e assados). Ótima comida com ótimos preços, ambiente bem descontraído e informal no almoço e mais frescura à noite.

Menu separado pela temperatura dos ingredientes no curioso C Restaurant. Crédito: Mari Campos

Para o jantar, gostei muito das duas opções que testei na A’DAM Tower, a nova torre da cidade que conta também com o mais novo  mirante de Amsterdã. Primeiro, testei o MADAM, que é parte do A’DAM Lookout, o mirante localizado no último andar da torre. Se você tiver reserva no restaurante, não paga para ir ao mirante – que conta ainda com o mais incrível balanço que já vi, suspenso no 20o. andar do edifício. A reserva também é fundamental para garantir uma das mesas com vista panorâmica para Amsterdã – o restaurante é grandinho e sentar-se em frete às paredes de vidro faz diferença. Comida caprichadíssima, drinks excelentes e ótima carta de vinhos. Após às 21h, as luzes começam a baixar e o volume da música a aumentar até que às 23h o local vira um animadíssimo nightclub (que também vale muito a pena).

Alta gastronomia com vista panorâmica no Moon. Crédito: Mari Campos

E, last but not least, o Moon Restaurant, a melhor (e também mais cara) refeição que fiz na cidade – mas a diferença de preço está totalmente justificada. O restaurante que literalmente acabou de abrir no finalzinho da primavera europeia é uma belíssima opção em alta gastronomia. Localizado no 19o. andar da A’DAM Tower, não apenas tem vista para a cidade a partir de todas as suas mesas como o restaurante gira a noite toda (um círculo completo a cada hora) para que a vista seja panorâmica (do lado de fora) e todo mundo possa acompanhar também um pouquinho do movimento da cozinha aberta (do lado de dentro). Absolutamente diferente dos demais restaurantes citados aqui (em todos os sentidos), o Moon é minha mais insistente recomendação para quem quer realmente comer bem na cidade: menu fixo absolutamente impecável, consistente e surpreendente; e serviço idem. Um tremendo jantar, de verdade – mas é mandatório reservar.

 

p.s..: contei lá no meu MariCampos.com sobre meus lugarzinhos preferidos na cidade para cafés e bons drinks também 🙂

 

 

 

 

0 Comentários