Buenos Aires para comer e beber

Buenos Aires para comer e beber

Mari Campos

20 Novembro 2017 | 09h08

O ambiente lindo do sempre delicioso El Mercado, dentro do hotel Faena. Crédito: Mari Campos


Fiquei dois anos sem visitar Buenos Aires. Tinha ficado de bode com aquele negócio do câmbio paralelo (sou daquele tipo que não compra mais moeda estrangeira há muitos anos, só saca localmente e usa cartão de crédito)., dos cambistas irregulares, e passei o ano passado porteñamente em branco por opção mesmo.

Mas não adianta, adoro a Argentina, gosto da cidade em particular e a boa filha à casa torna, mais cedo ou mais tarde 😉 E foi assim que, depois da linda semana em Ushuaia, resolvi passar outra linda semana em Buenos Aires conferindo o que anda rolando de mais gostoso na cidade.  Fiz tours e passeios deliciosos, revi amigos, revisitei os lugares mais queridinhos e também visitei vários pela primeira vez; tenho bastante coisa para contar. E no texto de hoje eu quero falar justamente sobre o que a maioria de nós, brasileiros, mais gosta de fazer na capital porteña: comer e beber.

Duas das deliciosas tapas do menu de almoço do Uco Restaurante, no Fierro Hotel. Crédito: Mari Campos

Para comer

Buenos Aires continua tendo MUITO lugar bom para comer. Já não se fazem mais refeições-pechincha por lá, mas ainda é possível comer muitíssimo bem em diversos lugares diferentes, com os mais diferentes estilos, e com preços bastante decentes. E há também diversas opções de comidinhas, dos helados e empanadas aos chás da tarde cada vez mais comuns nos hotéis da cidade. Minhas refeições favoritas da última viagem, do tradicional brunch de domingo ao jantar, foram as seguintes:

 

Uco Restaurante. Dentro do Fierro Hotel,  em Palermo, foi o almoço mais gostoso e a refeição com o melhor custoXbenefício de toda a viagem. O menu “Sharing is Caring”  inclui seis tapas diferentes e deliciosas (à escolha do cliente ), água, vinho, degustação de sobremesas e café por cerca de 80 reais. Para ir e repetir.

Sunny Yard. Dentro do novo hotel Alvear Icon, em Puerto Madero, é outra ótima opção para almoço: o menu executivo inclui água, vinho, bufê de saladas, prato principal e sobremesa à la carte.

HOME brunch. Perfeito para o brunch de domingo, o restaurante do hotel Home, em Palermo, tem ótimo menu à la carte, ambiente encantador (peça uma mesa no jardim) e excelente serviço – os huevos rancheros são o clássico da casa.

El Mercado. O restaurante mais low profile do hotel Faena segue sendo um dos mais autênticos da cidade, servindo pratos tipicamente argentinos em releituras contemporâneas. Pratos sempre saborosíssimos, ambiente lindamente decorado com peças antigas originais da cidade e serviço irretocável.

Casa Cruz. A casa em Palermo mudou tudo (decoração, menu e serviço), virou uma brasserie e continua não desapontando. Boa pedida para o jantar.

The Argentine Experience. Em Palermo, trata-se de uma espécie de jantar-show  (em português) em que os comensais partilham grandes mesas comunais enquanto põem a mão na massa e se divertem com as estripulias da equipe de garçons-enterteiners. Uma experiência muito mais interessante do que eu esperava, inclusive gastronomicamente. Entradas, empanadas, prato principal, sobremesa, água, vinho e bebidas não alcoolicas tudo incluído à vontade.  Bom programa para um jantar fora do óbvio.

Elena. O restaurante do hotel Four Seasons Buenos Aires continua fazendo jus a seus prêmios e à sua presença no 50 best. Os pratos do chef Juan Gaffuri, das entradas às sobremesas, com destaque óbvio para as carnes dry aged, compuseram a melhor refeição da minha viagem. Pela comida, pelo ambiente e pelo serviço, eis aí um restaurante que não canso de repetir.

 

Antes ou após o jantar, o Pony Line do hotel Four Seasons Buenos Aires continua reunindo alguns dos melhores mixologistas da cidade. Crédito: Mari Campos

 

Para beber

Buenos Aires é terreno farto em bons drinks. Não estou falando só da fartura de bares espalhados pela cidade toda, com os mais diversos estilos e budgets, mas de como a mixologia é também levada a sério em várias casas por lá.  Meus eleitinhos da vez foram:

 

Peugeot Lounge, em Palermo: com direito a uma vibe de speakeasy e coquetéis caprichados (tem um Old Fashioned matador, por exemplo).

Crystal Bar, no último andar do Alvear Icon: meio overpriced, mas vale pela belíssima vista do prédio mais alto de Buenos Aires e pela atmosfera super elegante

Florería Atlantico, na Recoleta: um favorito meu desde que abriu pelos drinks irretocáveis de Renato Giovanonni (e eles agora estão produzindo o primeiro gim 100% argentino)

The Library, dentro do hotel Faena: com jeito de biblioteca, como o nome sugere, tem música ao vivo e um dos ambientes mais gostosos (e estilosos!) da cidade. Mixologia de verdade dia e noite e bar aberto para a piscina do hotel nas noites quentes.

Pony Line, dentro do Four Seasons Buenos Aires: o mais badalado bar da cidade nunca decepciona. Ambiente, playlist, serviço e drinks sempre irretocáveis. Recomendo de olhos fechados o Aged Negroni (envelhecido em barrica no próprio hotel) e o Teseo (gin, vinho fortificado, tonica, lavanda, romã e limão).