Maresias cheia de personalidade

Maresias cheia de personalidade

Mari Campos

05 Dezembro 2017 | 12h14

A Maui Maresias vista do segundo andar dos quartos. Crédito: Mari Campos

Sou apaixonada por hotelaria e vira e mexe me doi, ao viajar pelo Brasil, constatar como desperdiçamos grandes oportunidades hoteleiras no nosso país pela má administração das mesmas. Hotéis com serviço precário, instalações pouco inteligentes e altos preços, convenhamos, não são raridade por aqui.


Por outro lado, eu AMO nossos cases de pequenas propriedades brasileiras (sejam pousadas de charme ou hotéis boutique) que fazem o caminho inverso e nos enchem de orgulho, com serviço irretocável, digno de um hotel de luxo. Acho que temos exemplos incríveis, principalmente nas propriedades em que a personalidade de seus donos (como grandes anfitriões) se mescla com perfeição com as acomodações cheias de charme, excelente gastronomia e serviço de primeira, sem perder a nossa informalidade, nosso “jeitinho” tão peculiar. Estão neste grupo para mim as incríveis Provence Cottage do Ari e do Whitman em Monte Verde, a Casa Turquesa da Tete em Paraty, a Barra do Bié da Ana e do Ciro em Cunha – acho impossível não se apaixonar por eles e por suas propriedades.

Acabo de passar um final de semana prolongado em Maresias depois de um bom tempo sem voltar ao destino – que acho mesmo um dos mais gostosos do litoral norte de São Paulo. Peguei chuva mas finais de tarde espetaculares, com aquele por-do-sol de Instagram. E foi lá que conheci mais uma propriedade que poderia entrar para esse meu rol: o hotel boutique Maui Maresias, que acaba de completar um ano de existência.

O delicioso deck da piscina com o restaurante Guató ao fundo . Crédito: Mari Campos

Localizada a passos (menos de meia quadra) da praia de Maresias, tem apenas 21 quartos dispostos ao redor de uma aconchegante piscina. Só aceita maiores de 16 anos, então acaba tendo uma vibe bem romântica, perfeitinho para casais – mas foi excelente escapada para nosso grupo grande de amigos também. As  instalações são pequenas e convidativas como numa casa de temporada, da sala ao lado da recepção ao bar, do restaurante à piscina, da pérgola ao spa. E tem um serviço de praia caprichadíssimo, com espreguiçadeiras acolchoadas, ombrelones e staff exclusivo.

A gastronomia servida no Guató Restaurante (aberto também para não hóspedes dia e noite) do chef Murilo de Oliveira é matadora: pratos super locais, fresquíssimos e cheios de sabor , em pratos inovadores e com apresentação impecável (mas tem também um famoso hamburger para quem quiser algo mais tradicional).  Se reservar previamente, ele prepara um menu degustação de pelo menos cinco passos que vale mesmo cada garfada. Até o café da manhã (sempre incluído) merece destaque: ótimo buffet de frios, frutas e guloseimas muito bem apresentados e um menu à la carte feito na hora para o hóspede, que inclui mini pães de queijo, croque monsieur, eggs Benedict, tapioca e outras delícias – e pode ser servido sem custos nos quartos até meio dia.

O hotel conta com um pequeno spa, com sala para tratamentos individuais e/ou em casal (pagos à parte) e um ofurô (cujo uso é cortesia na baixa temporada). Há diferentes tipos de quartos, dos mais compactos aos mais espaçosos, incluindo alguns com balcão ou adoráveis jardinzinhos, e a suíte master com hidromassagem. Como a Maui não é pé-na-area, os quartos do piso inferior não têm nenhuma vista ao mar; alguns do piso superior têm vista parcial do mar, mas pouco significativa. O frigobar (que não está incluído) é abastecido de acordo com as preferências individuais de cada hóspede, segundo questionário enviado no momento da reserva; e a abertura das camas à noite vem sempre acompanhada de um chocolatinho feito ali mesmo no hotel. E para celebrar o primeiro ano de sucesso, a partir de agora quem se hospeda ali leva para casa um pingente exclusivo da coleção Life da Vivara.

Serviço, serviço, serviço: staff louvável. Crédito: Mari Campos

Mas o maior destaque da Maui fica por conta do serviço – que é, no fundo, como sempre defendo, o que faz uma experiência de hospedagem ser notável ou até mesmo inesquecível. O staff ali é atencioso, sorridente, cálido e eficiente, tudo junto e misturado, como deve ser. Da recepção ao restaurante, são impecáveis no trato, no sorriso escancarado e na antecipação dos desejos dos hóspedes – como a adorável funcionária do café da manhã que captou minha paixão pela cafeína e  vinha me servir mais café antes mesmo que eu precisasse pedir. Porque hotelaria para dar certo, para ter excelência em serviço com uniformidade, tem que investir muito em treinamento, não tem jeito – seja a propriedade grande ou pequena. O hóspede está deixando lá um investimento de tempo e dinheiro esperando se sentir especial e voltar revigorado – é isso mesmo que faz a gente se apaixonar por algumas propriedades e querer voltar sempre, ou decidir nunca mais se hospedar de novo num determinado local. Ali tive  vontade de abraçar o staff um por um antes de ir embora.

Como nos exemplos que citei no começo deste texto, os  proprietários Carlos e Bruna, pai e filha, são a alma do local. Simpáticos que só eles, os dois estão o o tempo todo no hotel, circulando entre funcionários e hóspedes, atentos a todos os detalhes. Excelentes anfitriões, mantêm o olho no hóspede o tempo todo, batendo papo, trocando ideias, conhecendo gostos e até sentando junto para tomar um drink ou café.  “O Maui é um sonho antigo, fruto das minhas experiências adquiridas em viagens pelo mundo todo ao longo de quarenta anos”, diz Carlos Alberto Pinto, o proprietário.  “Durante muitos anos alimentei esse sonho de abrir um hotel em que o hóspede se sentisse individualmente o mais importante, cercado de encanto e cortesia”.  Tá dando bem certo, Carlos; tá dando bem certo!