No topo de Londres

No topo de Londres

Mari Campos

26 Agosto 2017 | 06h35

Acordei com o quarto todo escuro, black out perfeito. Estiquei o braço por sobre o criado mudo para alcançar o mágico botão que em segundos começou a subir as persianas automaticamente, revelando pelas paredes de vidro do chão ao teto uma Londres chuvosa do outro lado. Não me importei nem um pouco com os tons cinzentos lá fora; afinal, contemplar a cidade do alto do 50o. andar, Tower Bridge no meu horizonte, sem nem precisar sair da cama, era naquele momento recompensa maior que qualquer céu azul ensolarado.

O Shangri-la Hotel at the Shard , em Londres, faz jus ao nome da rede hoteleira de luxo da qual faz parte: incrivelmente silencioso em todos os ambientes, é um verdadeiro oásis de sossego e contemplação na agitada capital inglesa. Estive hospedada lá agora no começo de agosto e não poderia ter desejado uma experiência hoteleira mais redondinha que esta.

O hotel fica instalado do 34o. ao 52o. andar do The Shard, o mais alto e mais arrojado arranha-céus da cidade, bem ao lado do delicioso Borough Market.  São 202 quartos e suítes, cada qual com uma disposição diferente, acomodando-se ao desenho do arrojado edifício. Em todos eles, paredes de vidro do chão ao teto para não perder nadinha da vista panorâmica lá do alto. E para que a vista lá de fora seja mesmo a protagonista, a decoração é elegante e discreta, misturando materiais refinados (como mármore e seda) com madeira clara. Os banheiros também têm vista para a cidade a partir do chuveiro (como no meu) ou da banheira e as amenidades são L’Occitane (Acqua di Parma para as suítes).  A cama foi das mais espaçosas e confortáveis em que já dormi e ainda tinha binóculos na cabeceira para espiar em detalhes o mundo lá fora.


No 35o. andar fica o TING, restaurante que serve café da manhã, almoço, chá da tarde e jantar. Tomei ali meu café da manhã e também um dos mais gostosos chás da tarde da viagem, com vista para a St Paul’s e um menu delicioso de comidinhas doces e salgadas.  No 52o. andar, academia e piscina com borda infinita, ambas com vista panorâmica para a Tower Bridge, St Paul’s e até a London Eye na “curva” do Tâmisa. É também no 52o. andar que fica o GONG bar, onde eu tive uma das mais gostosas experiências etílicas da viagem: além da vista panorâmica surreal lá do alto, o menu de drinks do bar foi todo inspirado nos mais famosos diretores hollywoodianos e suas obras primas – o sabores são extremamente consistentes e instigantes e os coqueteis vêm cheios de invencionices na apresentação. O drink em homenagem a George Lucas, por exemplo, foca no lado negro da força e, graças à ação magnética, faz o copo da bebida ficar literalmente levitando em relação à sua base.

O hotel, que faz uso das sensacionais paredes de vidro que rodeiam toda a propriedade, tem ainda uma incrível adega panorâmica e um segundo restaurante. Serviço impecável em geral, inclusive na recepção.

Mais conteúdo sobre:

hotelariahoteisLondresShangri-la