Tem teatime em Paris também

Tem teatime em Paris também

Mari Campos

04 Agosto 2017 | 18h08

Gostosuras do Shangri-la Paris


O costume do café da tarde sempre foi muito forte pra mim, desde pequena. Coisa familiar, genética mesmo. Foi praticamente natural me apaixonar pelo conceito do “afternoon tea” – ainda em voga em tantos destinos por aí – e colocar sempre pelo menos um chazinho da tarde no meio do meu itinerário de viagem, não importa para onde. Só na minha próxima semana em Londres tenho quatro – isso mesmo, QUATRO! – reservas, no melhor estilo #alokadochadatarde.

Então qual não foi minha felicidade ao reparar neste ano que o costume do chá da tarde voltou com tudo aos hotéis parisienses. Uma amiga francesa já tinha me avisado e pude mesmo conferir in loco que o prazer de parar para “le teatime”  veio para ficar nos melhores hotéis da cidade – mas com um twist. A ideia já existia, é claro, há muito tempo em muitos destes hotéis; mas agora a maioria está investindo em ousadias bem doces ou inovações na clássica fórmula britânica – e as mudanças estão fazendo sucesso, com salões frequentemente lotados.

A torre impecável do chá do George V

Ali, conforme contei em detalhes também numa matéria para a linda revista The Traveller by Teresa Perez que está nas bancas, a ideia do high tea  tem atraído os mais diferentes perfis de público em torno da boa mesa vespertina – incluindo grupos imensos amigos e famílias em reuniões multi-geracionais. E, é claro, na terra da pâtisserie por excelência, os doces clássicos franceses são a vedete do cardápio, com pastry chefs dando asas à criatividade.

No Four Seasons George V Paris, o chá da tarde vem em formato torre como os britânicos gostam, mas sua versão à la française traz pâtisseries em nova roupagem – de recheios pouco usuais (e deliciosos!) a até mesmo uma versão “desconstruída” contemporaníssima de clássicos franceses como o delicioso docinho religieuse. Chás exclusivos e uma taça de champagne acompanham as delícias.

Delícias de Pierre Hermé na louça sexy do Le Royal Monceau

O Shangri-la Paris achou que doce pouco era bobagem e criou o “L’heure du gôuter”, um chá da tarde diário com nada menos que três buffets repletos somente de doces tipicamente franceses, no melhor estilo self-service brasileiro. Há de tudo, de canellés caseiros a doces refinadíssimos – sem faltar, é claro, uma seção repleta de coloridíssimos marcarrons. E não pense que os franceses e turistas se fazem de rogados, não; crianças e adultos vão às mesas do buffet repetidas vezes durante a tarde provando diversas delícias do menu, como eu mesma testemunhei.

Mas se a proposta for algo mais frugal, melhor apostar na ideia do Le Royal Monceau. Ali, no incrível bar projetado por Philippe Starck do hotel que é parte da Leading Hotels of the World, a fórmula clássica do chá da tarde foi substituída pelo combo chocolate quente mais um trio de mini-delícias do mago Pierre Hermé. Com tudo servido, obviamente, nas sexy louças criadas com exclusividade para o hotel – e o chocolate quente de Hermé é sem dúvida um dos meus preferidos.

Além destes três – testados e aprovadíssimos! -, diversos outros hotéis de luxo de Paris também estão repaginando seus chás da tarde, incluindo os também excelentes Peninsula, Ritz, Le Maurice, Le Bristol e Prince de Galles (que tem um chef patissier dos deuses, por sinal!). A exemplo dos chás da tarde nos hotéis londrinos, os hotéis parisienses estão investindo em diferenciais e adaptações constantes, seja em menus sasonais, em parcerias sasonais com chefs específicos ou mesmo menus temáticos para esta hora também. Em todos eles, é claro, os doces caprichadissimos são definitivamente mais importantes que scones e sanduichinhos. Oh la la.