Uma pérola chamada Acqualina Resort

Uma pérola chamada Acqualina Resort

Mari Campos

12 Fevereiro 2018 | 19h30

Côco geladinho à espera do hóspede no quarto e parte da excelente estrutura de lazer do resort. Crédito: Mari Campos

“Champagne ou Bellini?”, me perguntou a recepcionista enquanto fazia meu check in. Nada mal começar uma escapada a Miami assim, certo? Eu estava passando uma mini temporada na região de Orlando em janeiro passado, bem durante a friaca que abateu a Flórida, e resolvemos escapar a Miami Beach por três dias atrás de um pouquinho de mar e temperaturas mais amenas.

A simpática recepção do Acqualina Resort and Spa, parte da coleção da Leading Hotels of the World, dava o tom do que seriam os três dias seguintes: uma estada irretocável, de serviço cálido e impecável, em uma propriedade que realmente sabe como poucas mimar seus hóspedes à moda antiga. Eleito o melhor resort dos EUA continental por diversas publicações especializadas, o hotel faz mesmo jus às premiações que recebe anualmente – e, luxuoso como poucos, tem uma coleção de house cars que inclui Bentleys, Jaguars e Mercedes, para deleite dos hóspedes.

A arquitetura lembra uma vila mediterrânea, do design às cores; e a decoração das áreas comuns também investe bem neste clima meio costa amalfitana, mesclando o vermelho (cor icônica da propriedade) com objetos e móveis mais tradicionais.  O prédio principal, apesar de enorme, abriga apenas 98 exclusivíssimos quartos – as demais unidades são todas residências. Localizado já em Sunny Isles, ao norte de Miami Beach, tem localização perfeitinha para quem quiser (como eu) aproveitar as delícias gastronômicas de Bal Harbour (que ganhou novos restaurantes, como o The Grill e o Atlantikos) ou fazer compras em Aventura.


Aliás, o conceito de real estate ali no Acqualina vai de vento em popa: além das inúmeras residências que já oferece em seus dois edifícios, o resort começa agora a construção de duas novas luxuosíssimas torres inteiramente dedicadas a novas residências. Batizadas de The Estates of Acqualina, as novas torres oferecem apartamentos com um mínimo de três dormitórios, incluindo imensas varandas, vista ao mar, 2,7 hectares de jardins, Flow Rider em meio à série de piscinas de borda infinita, faixa privativa de areia e lobby desenhado por ninguém menos que Karl Lagerfeld. Já está dando o que falar.

Vermelho é mesmo a cor mais quente no Acqualina. Crédito: Mari Campos

Voltando ao adorável hotel na Collins Avenue, os quartos – desde a categoria de entrada – têm cômodos super espaçosos, banheiros caprichadíssimos com exclusivas amenidades ESPA, varandas imensas (a maioria com vista ao mar) e uma série de mordomias. A ESPA, aliás, é quem assina o incrível spa do hotel, imperdível – incluindo diversas opções de experiências exclusivas para casais desfrutarem juntos (e ainda tem uma piscina exclusiva que é um verdadeiro oásis de sossego).

Ao todo, oferece três diferentes restaurantes e uma corner Kosher-to-go que fazia o maior sucesso durante meus dias por lá. O café da manhã é servido em estilo buffet, com pratos quentes à la  carte, tanto no ambiente interno quanto na deliciosa varanda do AQ Chop House. Único downside? Apesar de incluir champagne, bellinis e mimosas no bufê de café, cobra separado por bebidas quentes como capuccino – o que, convenhamos, não faz o menor sentido em um hotel de luxo.

Mas o serviço em geral é realmente irretocável; fazia muito tempo que eu não via uma propriedade com serviço tão consistente em todos os setores. Outro ponto louvável  é que o hotel consegue oferecer opções super românticas e sossegadas para casais e ser super family e kids-friendly ao mesmo tempo, sem que nenhum público se incomode com o outro.  Para o lazer, conta com diferentes piscinas e jacuzzis externas (todas aquecidas se a temperatura na cidade estiver muito baixa) e um dos beach clubs mais premiados de Miami Beach, com serviço exclusivo para hóspedes – e atmosfera muuuuuuito mais sossegada que em South Beach.