5 expressões tão portuguesas que mais ninguém entende

Margarida Vaqueiro Lopes

14 Abril 2016 | 13h39

FullSizeRender-7-300x295.jpg

Que o português de Portugal e do Brasil são bastante diferentes a gente já sabe. Tem um monte de palavras diferentes (geladeira, aqui, é frigorífico; chope é imperial – e é feminino!; carona a gente diz boleia, só para dar alguns exemplos), mas o que é realmente mais divertido são as expressões que utilizamos e que ninguém entende. Deixo aqui cinco para verem como é diferente!

Foi com os porcos

Algo que deu muito errado. Por exemplo, um projeto que não resultou ou uma ideia que não foi possível concretizar. “Esse plano foi com os porcos”.


É preciso ter muita lata

É o que dizemos de alguém muito descarado. “É preciso teres muita lata para me dizeres isso” ou “aquele tipo tem muita lata” – ‘tipo’ é o nosso equivalente para o vossa ‘cara’ 😀

Estou feito ao bife

A gente usa essa expressão quando estamos com um problema que não conseguimos resolver e começamos a entrar em pânico. Ahah. “Estou feito ao bife”

Isso é muito giro

Giro, para nós, é algo bonito, legal. Não significa que vamos colocar ninguém girando sobre si, não. Mas a gente usa essa expressão para quase tudo: “Esse menino é muito giro”; “O filme é muito giro”; “Aquele restaurante é muito giro”…

Muitos anos a virar frangos

Eu sei que há a ideia de que em Portugal frango com piri-piri (que a gente fiz frango assado, já agora) é uma comida super famosa e típica, mas isso não tem nada a ver com o assunto. A gente usa essa expressão quando queremos dizer que alguém tem muita experiência num determinado assunto ou área: “Ele passou muitos anos a virar frangos” ou “são muitos anos a virar frangos”.

Já ouviu alguma dessas?

Já acompanha o Sambando em Lisboano Facebook e no Instagram?