Alentejo: um saco ou um encanto?

Alentejo: um saco ou um encanto?

Margarida Vaqueiro Lopes

11 Setembro 2017 | 07h51

Olá de novo! Me perdoem a ausência mas estive de férias nos últimos tempos e totalmente desligada da realidade – bom!, quem me acompanha no Instragram foi vendo uma foto ou outra!

Vamos lá, como prometido: Alentejo!

As opiniões sobre essa região a sul de Lisboa – ‘além Tejo’ – se dividem. Ela é a maior do país, o que significa que aqui você pode literalmente encontrar de tudo um pouco: praia, se for para a Costa Alentejana, planícies a perder de vista, se um pouco mais para o interior, vinhas de cortar a respiração, ondas de calor, no verão, sobreiros, campos de trigo, oliveiras…o Alentejo é um retrato do Portugal antigo, cheio de castelos e muralhas e histórias de encantar; é um retrato do Portugal rural com as fazendas enormes onde, nos chamados ‘montes’, vivem pessoas – ou passam lá férias e finais de semana –  mas é também, já, um retrato do Portugal moderno, luxuoso e que quer cativar cada vês mais visitantes.

Ao longo das praias da Costa Alentejana você vai se encantar com os recantos paradisíacos, as águas límpidas e os restaurantes cheiinhos de pratos tradicionais – se fugir de centros-super-glamourosos como a Comporta, ou Tróia (que ficam a cerca de 1h de Lisboa) conseguirá preços justos – que fazem os encantos de portugueses e estrangeiros.


Mais para o interior, se encantará com as vilazinhas medievais, que ainda guardam castelos e algumas Palácios que serviram a realeza portuguesa – como o Paço de Vila Viçosa. Há conventos, mosteiros, igrejas, um sem fim de atrações culturais para conhecer. É também no Alentejo que a gente pode encontrar algumas das mais incríveis pedreiras de mármore, essa pedra tão valiosa e tão utilizada desde tempos antigos.

É também uma região onde você poderá provar alguns dos melhores vinhos feitos em Portugal – sem esquecer que no Douro e até em Lisboa há muitos outros que merecem a sua atenção. E onde estão nascendo projetos modernos, programas de atividades aquáticas, passeios de balão ou barco, propostas cheias de estilo e que pretendem agradar aos mais exigentes visitantes do país. Ao contrário do que muita gente pensa ainda, o Alentejo não é um lugar chato e sem nada para fazer – ele também pode ser isso, se o que você procura é descanso. Mas é sobretudo uma região onde você vai se encantar com paisagens naturais e uma riqueza história e arquitetônica de cortar a respiração.

Vou deixar para vocês apenas três lugares onde sempre me perco, no Alentejo: o L’and Vineyards, que não sendo novo, vale muito a visita. É um retiro exclusivo que tem apenas 22 suítes, algumas da quais permitem que você durma (literalmente!!) olhando as estrelas. Erguido bem no meio devinhas alentejanas, esse é um resort que, para mim, é sempre escolha por uma coisa apenas: o restaurante! Nas mãos de Miguel Laffan (um dos meus chefs favoritos) desde o início, já conquistou uma estrela Michelin, e merece toda a vossa atenção: os pratos são realmente maravilhosos. E claro, a vista é deslumbrante! Fica pertinho de Lisboa – cerca de uma hora, de carro – e eu super recomendo.

Um pouco mais longe, mas ainda no Alentejo Central, a pequena cidadezinha de Vila Viçosa. Um pouco por acaso, fui lá passar uns dias há uns anos. Voltamos sempre que podemos, porque é realmente um encanto: para começar, escolhemos o Alentejo Marmoris Hotel & Spa. Também por acaso, fomos dos primeiros clientes quando o hotel abriu, e foi amor à primeira vista. O serviço é incrível, os quartos maravilhosos e a construção, toda em mármore, super diferente daquilo que são os hotéis em Portugal. A gente sempre fica horas no SPA ou nadando na piscina, onde você pode passar do interior para o exterior com apenas um mergulho. A-do-ro! Em Vila Viçosa, o restaurante de eleição – os outros ficam nas cidadezinhas ao redor – é apenas um e sempre o mesmo: a Taverna dos Conjurados.  Um lugar super pequeno, com um dono inesquecível que sempre lembra de você e com uma oferta gastronômica bem alentejana. Sim, somos capazes de ir lá almoçar e jantar vários dias seguidos…

Depois, mais abaixo, uma cidadezinha medieval que tem das vistas mais lindas que você poderá ver no Alentejo: Monsaraz. Bem dentro das muralhas do castelo você vai descobrir ruazinhas incríveis, restaurantes maravilhosos e lá ao longe conseguirá ver a barragem do Alqueva, a mais importante da região. Aqui existe uma igreja que foi transformada numa Galeria de Arte e que tem exposições durante todo o ano. É raro passar um ano sem lá voltar somente para falar um oi para Monsaraz. Aqui, você pode ficar no Monte Saraz, um turismo rural com quatro casas independentes e duas suites na casa principal, que fica bem junto a Monsaraz. Comida regional e caseira, muito silêncio e tranquilidade é o que se oferece – já tive vários amigos a ficar aqui, mas eu nunca experimentei. Então, não leva o selinho ‘Keep Sambando’, porque já sabem que não gosto de colocar onde não durmo 🙂 Mas está muito bem recomendado! Tem alguns outros empreendimentos nascendo na região, mas também ainda não pude dar uma olhada, então ficamos por esse mesmo!

E é isso. O resto vou deixar para outros textos e também para vocês descobrirem um pouco.. afinal!, não posso fazer o trabalho todo, certo?

Continue Sambando no Facebook e no Instagram do blogue.