Descobrindo o vinho verde

Descobrindo o vinho verde

Margarida Vaqueiro Lopes

15 Dezembro 2017 | 14h55

aqui falei do fato de não ser verdade que todo o mundo, em Portugal, bebe vinho verde. Aliás, consigo pensar de repente num monte de gente que nunca provou, sequer, vinho dessa região… Sei que no amado Brasil o ‘Casal Garcia’ é um vinho que geralmente as pessoas gostam de ter na mesa, mas aí vem outra novidade: se a gente beber vinho verde, dificilmente vai ser Casal Garcia. Porquê? Bom, misture preconceito – é muitas vezes visto como um vinho para exportar, mesmo – com um monte de outras opções e você encontra a resposta.


No entanto, o vinho verde tem aparecido mais. O Diogo já tinha falado de um ou outro nessa lista  e eu conheci outro há umas semanas de que preciso vos falar, para que procurem nas lojas e levem nas malas antes de regressarem das férias aqui na terrinha. É o Quinta de Santiago branco, no caso de 2016. Com um preço de 11 euros por garrafa – ou seja, o mesmo que você paga por uma garrafa de Casal Garcia no Pão de Açúcar, aí – poderá comprar um vinho de qualidade francamente superior. Ele vem de uma Quinta que foi construída no final do século XIX, e que durante um século sempre produziu alimentos para se sustentar. No entanto, o neto e os bisnetos do primeiro proprietário desse lugar decidiram dedicar a vida a produzir e engarrafar vinho com marca própria: eles usam basicamente uma casta – Alvarinho – e estão fazendo produtos realmente maravilhosos. Têm apenas uns seis hectares de vinha plantada, o que significa que a produção é pequena mas altamente especializada.

Quinta de Santiago branco 2016

Eu o experimentei quase como aperitivo ao início de um jantar que teve como entradas vieiras com texturas de couve flor, caviar e pancetta e um consommé de rabo de boi e tenho a dizer que foi uma franca surpresa: suave, elegante, persistente na boca. E olhe que eu não sou a maior amante de vinhos verdes – meus amados vinhos tintos do Douro e do Alentejo!

Consommé de rabo de boi.

Mas honestamente, se puderem experimentem quando vierem e guardem espaço para levar umas garrafas. Vão fazer um sucesso no próximo jantar!

Continue Sambando no Facebook e no Instagram do blogue.