Mulheres vivem mais, mas mais pobres

Margarida Vaqueiro Lopes

19 Junho 2015 | 09h26

É um drama social mas a gente pouco fala dele: as mulheres estão recebendo aposentadorias 31% mais baixas que os homens, em  Portugal. O valor é, ainda assim, melhor que no resto da Europa, onde o valor da aposentadoria das mulheres é de 38% mais baixo.

Isso não é só um drama econômico – já falaremos sobre isso – mas também um problema social grave, tendo em conta que as mulheres vivem mais tempo que os homens. Esses números foram reunidos num estudo que inclui dados do Eurostat, o gabinete estatístico da União Europeia, e tem em conta os vários subsídios dados pelo governo português.

A história não é nova, e deveria começar a preocupar-nos mais cedo. É que na verdade as mulheres também ganham bastante menos do que os homens, o que no final da vida tem que ter impacto na aposentadoria, calculada com base no que você pagou em imposto durante a vida ativa. Mas aí surge a questão: porquê isso? Como é que em pleno século XXI as mulheres continuam tendo um salário 16% abaixo do dos homens (na Europa)?

Com as mesmas qualificações, as mesmas horas de trabalho e até os mesmos resultados? Como é que nesse mundo super evoluído todos somos reféns dessas desigualdades que são bem mais sérias do que discutir sobre se homem lava a roupa ou ajuda nas tarefas de casa.