Portugal preocupado com Zika

Margarida Vaqueiro Lopes

08 Fevereiro 2016 | 11h14

Na semana passada, o diretor da Direção Geral de Saúde (DGS) portuguesa, Francisco George, aconselhou todas as grávidas ou mulheres que estão querendo engravidar a não viajar para qualquer um dos países afetados pelo vírus Zika. Em um comunicado enviado às redações e publicado no site do instituto a DGS nota que já há casos de portugueses infetados – regressados do Brasil –, e que as recuperações evoluíram favoravelmente. No entanto, melhor não arriscar sobretudo quando há bebês na equação.

Essa recomendação saiu antes das evidências de que o Zika poderia ser afinal transmitido pela saliva, por exemplo, com os especialistas a acreditarem que ele só passaria de pessoa para pessoa através da picada do mosquito, mesmo.

Para reforçar a preocupação nacional com este fenômenos, a própria TAP – a nossa companhia aérea de bandeira – anunciou oficialmente que restituiria a qualquer grávida o valor total de um bilhete eventualmente comprado para países como o Brasil. Aos acompanhantes, a TAP está disposta a dar um vale-viagem no valor da passagem comprada, para usar na companhia até ao final do ano.

Esse final de semana, falando com amigos profissionais de saúde, os vi realmente preocupados com o que isso pode representar em termos globais: todos acreditam que o Zika será provavelmente uma das epidemias dessa década. Sobretudo tendo em conta que o Carnaval está aí, e para além de aumentar a possibilidade de transmissão devido aos comportamento eventualmente menos seguros, haverá também muito mais gente viajando para países onde o vírus está presente. Um deles estava sobretudo preocupado com a quantidade de crianças que poderão nascer severamente deformadas devido às consequências do vírus, alertando para o fato de não estarmos preparados para ajudar essas pessoas no decorrer da sua vida.


A mim, para além disso tudo, ainda me me preocupa o que vai o Brasil fazer para conter isso a tão poucos meses das Olimpíadas…

Acompanhe a página do Sambando em Lisboa no Facebook