Uma surpresa musical ‘entre os meus dedos’

Margarida Vaqueiro Lopes

26 Novembro 2015 | 10h37

Ser considerado o melhor copy do mundo [ele ganhou o prémio de melhor copy do mundo em 2013, em Cannes] seria motivo suficiente para tirar os sapatos e relaxar, certo? Errado. O Hugo Veiga – português-mais-brasileiro-da-história – decidiu que ser copy não é suficiente para ele, e há uns meses escreveu um livro de contos chamado Fricções.

É uma compilação de pequenas histórias que ele foi escrevendo ao longo dos anos, algumas no Brasil, outras enquanto estava viajando. Ele achou que os textos estavam bons – e estão! – mas decidiu complicar. Convidou mais dois Hugos Veigas para colaborar com ele: um para fazer a capa do livro e outro para fazer o prefácio. Um português, outro brasileiro, como o coração do Hugo (aquele de quem a gente começou a falar no início).

Depois de ter apresentado o livro em Portugal – no centro e no norte do país –, é tempo de apresentá-lo no Brasil. Afinal, é aí que ele vive há cerca de dez anos, e na verdade ele já é mais brasileiro que português embora o sotaque seja carregado de história do Porto. Mas adiante. O Hugo achou que um livro de contos com a colaboração de outros dois Hugos – e de um monte de nomes bem conhecidos do Brasil nas ilustrações – não era suficiente para captar a atenção de vocês.

“Como criativo, sofro com ideias guardadas na gaveta porque é como se elas não existissem”, contou ele para mim. É que como se o livro não bastasse, o cara chamou o músico que tem dentro dele e fez uma canção. E um videoclipe. E decidiu apresentar tudo isso hoje – o livro, a canção e o videoclipe – para seu país de coração.


“Quando surgiu a oportunidade de lançar o livro, aproveitei para produzir quatro das inúmeras músicas que já estavam compostas e gravadas com o pequeno microfone do meu computador. Cada uma é como um conto musicado. Para as produzir, convidei o produtor brasileiro Emerson Martins da Bamba Music e o português Pedro Pode, amigo de infância e vocalista da banda doismileoito”, justificou ele. “O videoclip é uma homenagem aos corações partidos. Aqueles que, apesar de tentarem com todas as suas forças, manter a relação, acabam sendo cuspidos para longe. Apresentei a ideia para o realizador Luiz Ferré da Shinjitsu e ele trouxe a estética cuidada e a justaposição de branco e preto que podem ver no vídeo.”

Falámos sobre o videoclip que ele está apresentando hoje, que me pareceu bem cético em relação ao amor. O Hugo – o primeiro, portanto, o copy-escritor-músico – diz que apesar de muitos dos contos que escreve serem fruto de fantasia, “eles são metáforas de emoções reais. ‘Entre os meus dedos’ (é o nome da canção que deixo aí em baixo para escutarem) é só um das inúmeras faces de uma relação amorosa. A constatação de que não temos controlo sobre nós, quanto mais sobre os outros”.

Assim, eu li o livro do Hugo em uma hora. No dia em que tive um, eu sentei no sofá e li de um trago só. Os contos são fáceis, deliciosos, e nos fazem sentir coisas, que é algo que eu prezo muito quando leio. Ora me sinto angustiada, ora triste, ora feliz. E no livro do Hugo é possível encontrar tudo isso.  A música eu ouvi várias vezes para captar toda a essência. Ainda não experimentei juntar os dois, porque achei que seria terrível só eu poder fazer isso – o vídeo é tornado público hoje mas eu já o vi há umas semanas. Daí que espero que vocês façam isso comigo.

Veja aqui o vídeo! 

No Brasil, o livro está à venda online nas seguintes livrarias:

Livraria Cultura => http://www.livrariacultura.com.br/p/friccoes-15076443

Livraria da Travessa => http://www.travessa.com.br/friccoes/artigo/3c80f51f-14a8-4c41-ba8c-ed878fb60837

EasyBooks => http://www.easybooks.com.br/search/?q=fric%C3%A7%C3%B5es

Livraria Galileu =>https://www.livrariagalileu.com.br/Produto/Detalhe/170533

 

Fisicamente, pode comprar nessas aí:

Galileu (Rio de Janeiro)
Livraria da Vila (SP)
Livrarias Janina (Centro-oeste)
Athena Livraria (Rio Grande do Sul)
Leitura – Campo Grande
Martins Fontes – Santos