Quito: sobre surpresas e saudades

Quito: sobre surpresas e saudades

Daniel Ribeiro

19 Fevereiro 2016 | 02h09

AR_CENTRO_QUITO_MINTUR_AR_02

Quito. Foto: Ministério de Turismo do Equador.


Quando viajamos, queremos ser surpreendidos. Apesar disso, é muito comum fazer grandes pesquisas sobre o destino antes da viagem. Estar no lugar dos que você escolheu para passar as férias é uma sensação deliciosa, mas muitas vezes não tem muita surpresa, de fato. Eu fiquei muito comovido quando vi os quadros da Frida Kahlo e da Tarsila do Amaral no museu Malba, em Buenos Aires, mas sabia que eles estariam lá. Foi emocionante, mas não foi inesperado. Quito, não. A capital do Equador foi uma das surpresas mais interessantes que tive nos últimos anos.

Eu não costumo fazer pesquisas muito profundas antes das minhas viagens. Gosto de descobrir os lugares in loco e não me importo muito com certos perrengues.

ANDES PICHINCHA QUITO PAISAJES 348

Quito – foto: Ministério de Turismo do Equador

Quando me convidaram para ir ao Equador, eu só conseguia pensar em Galápagos. Quito estava no roteiro e eu pensei: “Legal. Nunca fui. Vai ser interessante”. E só. Eu não fazia ideia de que Quito tem o maior centro histórico preservado da América Latina.

Eu cheguei em um voo direto da ilha de Baltra, no arquipélago de Galápagos. Como a cidade fica a 2800 metros de altitude, sofri com o soroche (como eles chamam o mal-estar pela altura) na primeira noite e fiquei muito enjoado. A sensação era a de uma ressaca muito brava. No segundo dia, a ressaca ficou por conta da Calle La Ronda, uma rua bem no meio do centro histórico com uma variedade de bares e restaurantes. A rua fica sempre cheia de gente e guardas com roupas típicas. Um ambiente bastante amigável, principalmente à noite.

Quito - foto: Ministério de Turismo do Equador

Quito – foto: Ministério de Turismo do Equador

Das experiências surpreendentes, destaco o restaurante El Ventanal. No alto de um dos morros na zona sul da cidade, o restaurante é uma caixa de vidro suspensa de onde se tem uma vista espetacular. A Catedral da cidade foi uma outra surpresa. As gárgulas no alto da igreja são animais típicos da fauna equatoriana (eu achava que deveriam ser sempre águias, ou coisa do tipo).

Restaurante El Ventanal - foto: reprodução do site.

Restaurante El Ventanal – foto: reprodução do site.

Quito está na altura da linha do Equador, que dá nome ao país. Há dois lugares onde se pode visitar la mitad del mundo, os dois oferecem um museu com experimentos como o de ver a água girar em sentidos opostos nos hemisférios sul e norte. E você pode tentar equilibrar um ovo em cima da cabeça de um prego.

Quito me causa a sensação que as boas viagens devem provocar: saudades.

Catedral de Quito. Foto: Ministério de Turismo do Equador.

Catedral de Quito. Foto: Ministério de Turismo do Equador.