1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

Nem sempre tudo o que a equipe do caderno Viagem vivencia em suas andanças mundo afora cabe nas páginas impressas. Neste espaço, há um pouco de tudo: notícias, percepções, experiências e bastidores. Para você embarcar com a gente cada vez que caímos na estrada
quinta-feira 25/06/09 12:11

Grandes notícias, pequenas nações

A noticia ainda não está confirmada, mas já causa uma nova onda de curiosidade nesta redação: mr. Miles parece estar de malas prontas para vir ao Brasil nos próximos dias. Diz-se que, dessa vez, finalmente dará o ar de sua graça aos companheiros de trabalho deste caderno, com os quais há anos comunica-se por vias indiretas. O viajante britânico — como se sabe —, é um grande entusiasta das coisas brasileiras. Desta vez, contudo, viria com o objetivo específico de ...

Ler post
sexta-feira 19/06/09 10:28

Lua-de-mel nas Seychelles

Após ter voltado de sua curta viagem à Montserrat, o incálculável viajante britânico encontrou, em sua caixa de correio, a edição de Viagem e Aventura com a estréia da coluna Viajante Profissional, de Ric Freire. Do Condado de Essex, mr. Miles envia suas saudações ao novo colunista do caderno, afirmando que "as indicações de um profissional serão, for sure, um desejável e útil contraponto às colocações deste viajador que vos fala, um incorrigível amador movido pela paixão de conhecer e ...

Ler post
terça-feira 16/06/09 23:21

Pets a bordo

Da Redação: A inaguração da companhia aérea Pet Airways lança um novo conceito de voar. Dedicada única e exclusivamente ao transporte aéreo nacional de animais de estimação, a empresa investe em luxo e conforto para os pets. Adeus compartimentos apertados e pouco arejados. Na companhia, que já conta com 20 aeronaves, os animais são tratados como hóspedes cinco estrelas. As passagens custam a partir de US$149 para rotas que ligam Nova York, Chicago, Denver, Washington e LA " Achei very interesting a ...

Ler post
quarta-feira 10/06/09 12:05

A Pompéia de Montserrat

O inusitado calor de 41ºC que assolou a capital da Inglaterra ainda na primavera, alguns dias atrás, levou mr. Miles a considerar que a velocidade do aquecimento global superou em muito as suas expectativas. Impressionado com o evento, o bravo viajante decidiu visitar, com mais assiduidade, lugares que correm risco iminente de desaparecer, para “registrá-los em minha memória — um arquivo, so far and thank God, imune aos efeitos deletérios das alterações climáticas.” Foi assim que nosso bravo viajante decidiu incluir uma nova ilha em seu currículo, a pequena Montserrat, território ultramarino britânico, nas imediações de Antigua e Barbuda, no Caribe.
Instalado na guesthouse de seus velhos amigos Shirley e Lou Spycalla, o correspondente britânico saciou uma antiga curiosidade ao visitar os restos da capital de Montserrat, semissoterrada por uma erupção vulcânica.
Plymouth, my friends, é muito pouco lembrada em todo o mundo. Trata-se, however, da mais moderna versão de Pompéia. A pacífica e pequena capital de Montserrat ficava aos pés das montanhas Soufrière, onde existia um vulcão adormecido desde a Antiguidade. Eis que, nos anos 90 do século passado, a atividade sísmica recomeçou. Primeiro com fumaça, depois com tremores e cinzas. Até que, em 1997, uma grande explosão fez com que os habitantes de Plymouth abandonassem suas casas e estabelecimentos comerciais, em busca da relativa segurança da porção setentrional da ilha. Unfortunately, that was the end of the city. Plymouth chafurdou em lama vulcânica e cinzas.
Hoje fui fazer um tour pela área, na companhia de um guia e dois geólogos ucranianos que estão fazendo um doutorado sobre a atividade sísmica nas ilhas caribenhas. Não se pode chegar a capital destroçada, que é área de risco. De Jack Boy Hill, entretanto, vimos um cenário grandioso: o vulcão fumegante no background e a cidade enterrada no vale.
Ainda é possível reconhecer alguns edificios, com as inúteis janelas de seus andares superiores abertas para as cinzas.
Silente, o Soufrière parecia um espectador inofensivo, produzindo nuvens brancas no céu intensamente azul desta manhã. Terá sido, unfortunately, meu último avistamento desta Pompéia esquecida: cada vez que chove na ilha, outros detritos vulcânicos são despejados sobre as ruínas, que logo vão desaparecer.
Agora, fellows, escrevo-lhes de Little Bay, sentado à mesa do mais conhecido restaurante local, cujo nome é uma sugestiva ironia: Good Life Restaurant. Yes, indeed: a vida é muito boa sempre; e parece melhor ainda quando recomeça. Don’t you agree?A seguir, a pergunta da semana:

Mr Miles, gostaria de saber se o senhor já se hospedou em um albergue da juventude. Gostaria que relatasse essa experiência, pois tenho intenção de viajar para a Itália no ano que vem e queria ficar num albergue, já que é mais em conta.
Maria Fernanda Migliorini, por email

Well, my dear, lamento desapontá-la, mas por motivos que fogem a minha compreensão, não tenho sido aceito em youth hostels há um considerável número de anos. That’s very unfair, isn’t it?

Ler post
quinta-feira 04/06/09 17:57

Um apaixonado incorrigível

Nosso intimorato viajante anuncia que pretende ir à Pyongyang, na Coréia do Norte, com o a intenção de passar uma carraspana nos belicosos líderes locais. Desaconselhado por amigos e por sua prima Guinevere, mr. Miles parece irredutível em seu objetivo. "Não sei se Kim-Jong II vai me receber, mas a intenção é trocar suas pretensões nucleares por uma permanente na Disney World. Aposto que ele vai ficar tentado com a possibilidade de desfrutar indefinidamente de novos brinquedos", explicou o correspondente ...

Ler post