Alô, cheguei! Como se comunicar em viagens dentro e fora do Brasil
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Alô, cheguei! Como se comunicar em viagens dentro e fora do Brasil

Felipe Mortara

21 Dezembro 2012 | 19h29

Por Érica Teruel Guerra, Fernando de Azevedo Otto, Gustavo Costa Foster, Isabela Constance Lamster, Júlio Ettore Suriano do Nascimento

A hora de ligar para casa não precisa ser um drama nas viagens para o exterior. Ferramentas da web como o Skype já deixaram para trás os velhos cartões postais ou telegramas, comuns até os anos 90, mas que hoje nem passam pela cabeça de quem quer se comunicar com pessoas em outro país.

Porém, se não tomarmos cuidado, as ligações telefônicas podem nos reservar surpresas na hora em que a conta chega. Por isso, quem viaja para o exterior ou outras cidades do País pode aproveitar os benefícios de aplicativos que possibilitam fazer chamadas de longa distância por preços mais baixos do que os das ligações comuns ou até mesmo sem custo nenhum, usando apenas a conexão com a internet. Além das tarifas mais baixas, uma grande vantagem desses programas é a possibilidade de o usuário não pagar tarifas de deslocamento quando o aparelho estiver fora do DDD de origem.

É o caso do próprio Skype, que pode ser baixado da internet e permite fazer chamadas de vídeo entre dois aparelhos que possuam o programa, funcionando gratuitamente em computadores, tablets e smartphones. Para efetuar ligações para telefones fixos ou celulares que não possuem o aplicativo, é cobrada uma taxa por minuto. Os créditos podem ser adquiridos de forma pré-paga, com uma tarifa na faixa de sete centavos por minuto de ligação, mas que pode aumentar dependendo do local de destino da ligação, ou por planos pós-pagos. Um deles, o Mundo Ilimitado, por exemplo, dá direito a ligações ilimitadas para telefones fixos em 41 países – como Estados Unidos, França e Coreia do Sul – por uma mensalidade de R$ 25,99. O pagamento pode ser feito com cartão de crédito ou boleto bancário pelo site www.skype.com.


Outra possibilidade para videochamada é o aplicativo Tango, que pode ser usado em PCs – não há versão para Mac – e em smartphones. Nesse caso, o programa precisa estar instalado no aparelho emissor e no receptor para fazer a ligação. Nenhuma tarifa é cobrada. É possível ainda gravar uma mensagem de vídeo e enviá-la a um contato.

Para chamadas de voz, existe o Viber, que funciona com iPhones, iPads e celulares com o sistema Android. Nesse aplicativo, que pode ser baixado gratuitamente pela internet, o programa reconhece quais contatos da lista possuem o programa e os disponibiliza para ligações, sem cobrança nenhuma.

Há ainda o Talky, que permite aos usuários receber e fazer ligações de voz por meio de computadores e telefones fixos. Os aparelhos celulares compatíveis com o aplicativo são os com as tecnologias Symbian, Android e iPhone. Pode ser obtido a partir da instalação de um software com download gratuito. Como no Skype, neste aplicativo as chamadas para telefones fixos são cobradas.

Apenas para computadores, o Facebook disponibilizou ainda a opção de vídeochamadas gratuitas na sua janela de bate-papo. O Google+ também oferece uma ferramenta de comunicação por vídeo, o Hang Out, também gratuito.

Todas essas opções são para computadores ou celulares, mas nem sempre temos aparelhos como esses ao alcance. Por isso, o Viagem comparou as opções de telefonia do mercado disponíveis para viajantes. Há diversos planos e empresas que prestam o serviço, de acordo do país. É fundamental consultar os sites das operadoras. Confira as opções (clique na imagem para visualizar a tabela inteira):