As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ampliado, museu de arte lésbica e gay reabre em Nova York

Mônica Nóbrega

29 Maio 2017 | 19h06

Óleo sobre tela de Angela Difresne, 'A Real Alegoria da MInha Vida Artística e Moral' (2014) faz parte do acervo do museu

Óleo sobre tela de Angela Difresne, 'A Real Alegoria da MInha Vida Artística e Moral' (2014) faz parte do acervo do museu

O museu Leslie-Lohman de Arte Gay e Lésbica reabriu as portas em Nova York depois de seis meses fechado para obras de ampliação. Localizado no bairro do Soho, o museu anexou um imóvel vizinho e aumentou em 70% sua área total.

No ano em que comemora 30 anos, o museu tem entre os destaques a mostra Found: Arqueologia Queer, Abstração Queer, de 10 de junho a 10 de setembro. Serão 28 artistas contemporâneos cuja produção examina a identidade queer e suas ferramentas de abstração, “em um mundo que nos quer escondidos”, disse Avram Finkelstein, curador da mostra, que já trabalhou no MoMA e no Whitney Museum.


O museu Leslie-Lohman tem um acervo atual de cerca de 30 mil peças.

Serviço:
Found: Queer Archaeology; Queer Abstraction
De 10 de junho a 10 de setembro
Leslie-Lohman Museum of Gay and Lesbian Art
26 Wooster St.
Abre de quarta-feira a domingo, de meio-dia até 18 horas; às quintas, fecha às 20 horas. Fechado às segundas e terças-feiras
leslielohman.org

Saiba mais: Outras novidades de Nova York e um imperdível circuito de compras