Barbados festeja o fim do carnaval
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Barbados festeja o fim do carnaval

Adriana Moreira

01 Agosto 2011 | 20h30

 

As mulheres usam meias sob as roupas (Pedro Antunes/AE)

As mulheres usam meias sob as roupas (Pedro Antunes/AE)

Pedro Antunes*

É tudo tão diferente, mas tudo tão igual. Deu para entender? A ilha de Barbados, situada no Caribe, próxima da Venezuela, comemora o seu carnaval com muitos trios elétricos nas ruas, moças com fantasias mínimas e muita dança. O sorriso no rosto dos bajans, como eles próprios se denominam, é sempre frequente.


Tem muito do carnaval que se conhece no Brasil, com a mistura dos trios elétricos de Salvador (BA), os biquinis do Rio de Janeiro e um jeito de dançar único. A música tem um ritmo latino, navega entre o axé e o raggae, e tem o nome de soka.

O carnaval deles, no entanto, é muito, muito mais longo. São pouco mais de 3 meses de festa, de 14 de maio a 1 de agosto. Tudo para celebrar o fim da colheita de cana-de-açúcar.

São 6 quilômetros de caminhada (Pedro Antunes/AE)

São 6 quilômetros de caminhada (Pedro Antunes/AE)

Nesta segunda-feira (1/8), último dia do carnaval, é comemorado o Kadooment Day, o dia da libertação dos escravos. Cerca de 15 mil pessoas se dividem em blocos que desfilam pelas ruas de Spring Garden, um bairro mais periférico de Bridgetown, a capital da ilha caribenha. São 6 quilômetros de percurso, com soka de fundo, com muita dança e bebida. A dança, em si, é extremamente peculiar.

Casal dançando soka. Bem sensual (Pedro Antunes / AE)

Casal dançando soka. Bem sensual (Pedro Antunes / AE)

Apesar da sensação térmica de mais de 30º e a chuva que insistia em cair, os bajans e turistas protagonizavam cenas quase de sexo explícito. A única coisa que os impedia de qualquer assanhamento maior, eram as roupas – curtas, diga-se de passagem.

A simulação é tradicional e parece não incomodar nenhuma das pessoas, seja quem está dentro do cordão de isolamento, ou quem está fora, só assistindo a festa. Tudo faz parte da festa.

Carnaval em Barbados (Crédito: Pedro Antunes/AE)

Carnaval em Barbados (Crédito: Pedro Antunes/AE)

Até a cantora Rihanna, que nasceu no país e se tornou, no último mês, uma espécie de embaixadora, caiu na brincadeira e desfilou pelas ruas de Spring Garden.

Mais conteúdo sobre:

barbadosCarnavalKadooment Daysoka