Chamadas para casa sem sustos na conta
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Chamadas para casa sem sustos na conta

Fabio Vendrame

11 Março 2014 | 01h30

José Patrício/Estadão

José Patrício/Estadão


Operadoras diversificaram planos, há mais opções de aplicativos e, se for o caso, sempre temos os telefones públicos. Veja as opções para se comunicar do exterior com quem ficou no Brasil

Recentes novidades amenizaram o risco de um susto ao receber a conta de telefone depois de uma viagem. A Nextel, uma das operadoras de telefonia móvel que atuam no Brasil, fechou acordo com a gigante americana AT&T e passou a ser mais uma opção para quem vai aos Estados Unidos – juntou-se, assim, a Oi, Tim, Vivo e Claro, que já oferecem o serviço e buscam, cada uma a seu modo, tornar mais amigáveis os preços de seus pacotes de roaming internacional e transmissão de dados.


A ampliação das opções de planos para uso no exterior com tarifa fixa triplicou o número de assinantes em alguns casos, segundo as próprias operadoras.

Outra forma econômica aos viajantes são as chamadas de voz via WhatsApp, aplicativo de troca de mensagens que opera em tablets e smartphones conectados à internet. Na prática, é algo parecido ao que o Skype já fazia.

LEIA MAIS SOBRE DOCUMENTOS DE VIAGEM E SEGURANÇA

De olho no bolso. A solução mais econômica para usar telefone e internet no exterior ainda é comprar um chip local no destino da sua viagem. “É mais econômico e também o único jeito de garantir uma conexão boa e barata”, comenta Fred Marvila, viajante frenético e criador do Sundaycooks, canal na internet especializado em tecnologia para viagens.

Ele explica que é preciso desabilitar a função roaming do seu aparelho antes mesmo de entrar no avião. No destino, procure uma operadora, compre um chip e contrate um plano mensal que inclua boa velocidade de internet. “Com cerca de 30 euros dá para fechar essa conta”, diz.

E quem não faz questão de internet no celular pode, nos Estados Unidos, comprar um aparelho de ocasião – “descartável” nas palavras de Marvila – que só funciona no país. “O custo-benefício compensa”, diz ele.

Abaixo, veja nosso quadro com todas as opções: