De casa para o hotel
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

De casa para o hotel

Felipe Mortara

11 Março 2013 | 17h39

Loja da Ikea, em Praga. Foto Petr Josek/Reuters

Quem disse que design e conforto não podem combinar com preços camaradas? Após mobiliar milhares de lares europeus com móveis baratos, mas estilosos, a sueca Ikea entra no filão da hotelaria com a meta de abrir 150 hotéis econômicos em 10 países da Europa até 2023.

Em parceria com a rede Marriott, criou a rede Moxy, que inaugurará seu primeiro hotel no ano que vem, próximo ao aeroporto de Malpensa, em Milão, com diárias entre €60 e €80. A ideia é oferecer o um ambiente agradável e sustentável com um quê de descolado, aliado a um serviço decente, mas sem cobrar uma fortuna por isso. A localização, em geral próxima de aeroportos e movimentadas estações de trem, também será outro ponto forte da rede.


Em Londres, por exemplo, a rede já conseguiu aprovação para erguer um hotel com 350 quartos numa enorme área de 58 mil metros quadrados em Stratford, na área revitalizada próxima ao Estádio Olímpico. Além da capital britânica, as próximas unidades a serem lançadas devem ser em Berlim e Frankfurt.

Ao que parece, a Moxy está entrando no mercado hoteleiro de forma inteligente e estratégica. Para começar,  não tem como alvo todos os viajantes – apenas os mais jovens, preocupados com o orçamento aqueles que apreciam tecnologia e design. E assim, a rede procura preencher uma lacuna no mercado, oferecendo uma opção diferente dos hostels, com as vantagens acima.

Mais conteúdo sobre:

EuropahotelhotelariaIkea