De Genebra, um passeio a Chamonix
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

De Genebra, um passeio a Chamonix

Fabio Vendrame

11 Março 2014 | 02h10

Montblanc: L’Aiguille du Midi, o cume mais alto, tem 3.842 metros – Foto: Atout France/Divulgação

VIAJE NA PERGUNTA

Vamos passar três dias em Genebra, vindos de Paris: meu filho, minha nora, minha neta de 6 anos e eu, que tenho 84. Gostaríamos de fazer um passeio à estação de Chamonix. Qual é a melhor maneira de chegar? Precisamos alugar carro? (Eva, São Paulo)

O jeito mais bonito de viajar entre Genebra e Chamonix é de trem. Os trilhos contornam o Lago Léman, atravessando a cidade de Lausanne, bordejando os vinhedos da encosta de Lavaux e passando por Vevey e Montreux antes de subir a Martigny, onde é feita a baldeação para a ferrovia francesa.


Infelizmente, um trecho dos trilhos franceses está em obras e requer o traslado em ônibus, o que adiciona duas baldeações e eleva o tempo de viagem a quatro horas, prejudicando demais o aproveitamento do destino final, Chamonix.

Enquanto a ferrovia francesa não for inteiramente reaberta, resta apenas a ligação mais direta: a autoestrada de 88 quilômetros entre Genebra e Chamonix.

O percurso pode ser feito de carro, sim. Mas é bom lembrar que estacionar em Chamonix não é uma tarefa das mais fáceis. Além disso, os trâmites para retirar e devolver o carro alugado e a falta de familiaridade com o trânsito em Genebra podem deixar o passeio menos fluido do que o planejado.

Minha recomendação: ônibus. A viação SAT Montblanc opera a rota entre a estação de trem (Gare Routière) de Genebra e a cidade de Montblanc. As passagens podem ser reservadas em sat-montblanc.com. Custam 50 euros ida e volta para adultos (25 euros para crianças). Agora, no fim do inverno, dá para ir no ônibus das 8h30 e voltar no das 17 horas.

Um dia em Chamonix permite que se faça os dois passeios principais do lugar. O primeiro é o teleférico que leva ao pico de Aiguille du Midi, a 3.800 metros de altitude. De lá vocês terão uma vista completa da quina entre os Alpes franceses, suíços e italianos.

Um elevador leva até o topo, de onde se tem a melhor visão do Mont Blanc. (No verão é possível fazer um segundo passeio por ali, pegando a gôndola panorâmica – um megateleférico que passa por cima do Glaciar do Gigante).
O programa para a tarde é pegar o trenzinho que vai a Montenvers. A ferrovia, tipo cremalheira (com trilhos dentados) é uma atração em si. Depois de vinte minutos de viagem, vocês chegarão à borda do glaciar Mer de Glace (Mar de Gelo). No inverno funciona um palácio de gelo – uma espécie de iglu onde são exibidas esculturas de gelo.