De Santa Monica a Venice, no pedal
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

De Santa Monica a Venice, no pedal

Mônica Nóbrega

04 Março 2014 | 04h40

Píer de Santa Monica, onde fica a placa do fim da famosa Rota 66, em tarde de ‘fog’. Foto Mônica Nobrega/Estadão

 

Mônica Nobrega/ SANTA MONICA

O pedaço de Los Angeles que preza a vida ao ar livre e veste melhor chinelo que salto alto fica no litoral. Entre a cool Santa Monica e doidona Venice você só pega o carro se quiser. Eu não quis.


Quis a bicicleta, isso sim, para passear à beira-mar (US$ 20, 2 horas; smbikecenter.com). Como ponto de partida, o píer de Santa Monica, o mais famoso dos Estados Unidos, onde fica a placa que encerra a Rota 66. A ciclovia que passa sob as estacas do píer, na areia da praia, é a South Bay Bicile Trail, com 35 quilômetros (até Malibu, ao norte). Venice está 5 quilômetros ao sul.

Santa Monica termina (e Venice começa) no exato ponto em que os jardins arrumadinhos dão lugar a uma pista largadona, invadida também por patinetes, skates e patins (“desculpe, sou inglesa”, gritou a garota cambaleante que aprendia a patinar e quase trombou de frente com a minha bike).

Logo ali está o calçadão na orla de Venice, um trecho de mundo parado na década de 1970. Há cabeludos, artistas, camisetas de banda e biquínis retrô. Dali até o píer de pescadores são 800 metros. Bom lugar para ver as manobras dos surfistas.