‘Dirty Dancing’: cante junto em Londres
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Dirty Dancing’: cante junto em Londres

Adriana Moreira

19 Novembro 2013 | 14h48

Parece, mas não é: os atores do musical londrino em cena. Foto Divulgação

 

Adriana Moreira

Basta a Sessão da Tarde tocar The Time of My Life para os fãs de Dirty Dancing, musical estrelado por Patrick Swayze em 1987, irem ao delírio (não sei você, mas eu me incluo entre tais fãs). Sendo assim, quando cheguei a Londres mês passado e me deparei com um cartaz do musical, decidi que não poderia deixar de assistir.


Comprei os ingressos no site do espetáculo para o mesmo dia, mas foi difícil conseguir lugares razoáveis a preços idem no Piccadilly Theatre. Há opções desde 26 libras (R$ 97).

Paguei 26 libras, mas tive de sentar láááá longe… Foto Adriana Moreira/Estadão

Trata-se de uma montagem para fãs. Não há nada de excepcional no cenário e o enredo é idêntico ao do filme. Graças à semelhança dos atores (pelo menos de onde eu estava), a impressão é de estar assistindo à gravação da película de 1987.

O melhor, claro, é o final. Quando Johnny (papel originalmente interpretado por Swayze) entra pelo meio dos espectadores e diz “Nobody puts Baby on the corner (ninguém deixa Baby de canto)”, a plateia, tão feminina quanto o auditório do Silvio Santos, vai abaixo. É a senha para começar a música-tema, cantada a plenos pulmões por um público dos mais variados sotaques.

Lá fora, um riquixá tenta a sorte: coloca The Time of My Life na caixa e espera freguesas. Funciona.