Música, arte e sustentabilidade em Pirenópolis
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Música, arte e sustentabilidade em Pirenópolis

Felipe Mortara

03 Agosto 2012 | 00h37

Museu do Divino, em Pirenópolis. Foto: Silvio Quirino/Divulgação

Levantando a bandeira do social e ecologicamente correto o Festival Gastronômico e Cultural de Pirenópolis, em Goiás, chega a sua sétima edição. Entre 9 e 12 de agosto, o evento quer mostrar que apesar de todo o glamour que envolve a gastronomia,  é necessário que as atitudes dos chefs e restaurantes sejam pautadas por princípios e valores atuais. A chef Helena Rizzo, do restaurante Maní, considerado o 51º melhor do mundo, é uma das convidadas.

Mesclando debates, workshops e degustações, o festival tenta gerar reflexão sobre a origem dos alimentos, o impacto ao meio ambiente, a valorização da comunidade produtora dos insumos. Como preservar a culinária regional, mas ao mesmo tempo elaborar novas receitas com base no tradicional é uma das questões. É claro que entre uma garfada e outra vale dar um mergulho nas belas quedas d’água da região, como a Cachoeira dos Dragões.


Cachoeira dos Dragões, em Pirenópolis. Foto: Silvio Quirino/Divulgação

Por ser o ecossistema mais ameaçado do Brasil e ocupar 25% do território nacional, o cerrado é um dos temas principais, já que se discutirá o quanto utilizar frutas e especiarias da região valoriza o bioma e sua cozinha contemporânea.

Além da comida o evento também terá apresentações dos violonistas Yamandu Costa e Rogério Caetano, além da banda Sonora Tropicante e de outros artistas que ainda serão confirmados. A programação completa será divulgada no site do festival.  Outras atrações culturais da cidade, como o Museu do Divino, estarão funcionando a todo vapor e com programação especial.