No verão em Londres, vá de bike
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

No verão em Londres, vá de bike

Em dias de verão (com sol), as bicicletas são o melhor meio de transporte na capital inglesa

Fabio Vendrame

08 Agosto 2014 | 15h35

Basta manter-se sempre à esquerda na via – Foto: José Orenstein/Estadão

José Orenstein / LONDRES

Mind the gap: o metrô de Londres é eficientíssimo. Mas, por uma semana na cidade, só desci aos caminhos subterrâneos da capital inglesa uma vez: para o tomar o trem para o aeroporto de Heathrow. É que, melhor que o metrô, em sete dias de verão e sol em agosto, só as bicicletas.

Londres tem um sistema de aluguel de bikes patrocinado pelo banco Barclay’s, com mais de 700 estacões e 10 mil bicicletas espalhadas pela cidade. São as “Boris bikes”, apelido carinhoso que os britânicos deram às magrelas (bem, elas não são tão magrelas, têm 23 kg de robustez), homenagem ao prefeito Boris Johnson, que lançou o sistema em 2010 e é ciclista.


É muito fácil usá-las  – e é um ótimo jeito de conhecer Londres. Há estações em todos os pontos turísticos, e nem tão turísticos assim, e ciclovias ou ciclofaixas permeiam a cidade. De East a West End, passando pelos parques e pontes, pedala-se.

Em uma semana rodando pela capital, não escutei uma buzinada sequer: taxistas, motoristas de ônibus e carros respeitam ciclistas, não tiram finas. Basta manter-se sempre à esquerda na via, onde normalmente tem uma bikezinha pintada no chão.

Claro, no início a mão inglesa pode confundir um pouco – o natural para nós é ficar à direita; na hora de fazer as primeiras conversões dá um nó na cabeça, mas, com um dia de pedal, esse nó se desata.

Você pode contratar as bikes por um dia ou uma semana (ou por um ano, se morar em Londres). Por um dia, custa 2 libras – você pega a bike quantas vezes quiser em 24 horas para corridas de até 30 minutos. Por uma semana, custa 10 libras – você pega a bike quantas vezes quiser em 7 dias para corridas de até 30 minutos.

Acima dessa meia hora, tanto para o aluguel de um dia como para o de uma semana, há uma taxa adicional progressiva: 1 libra a mais se devolver a bike em até 1 hora, 4 libras em até 1h30, 6 libras em até 2 horas, 10 libras em até 2h30, 15 libras em até 3 horas, 35 libras em até 6 horas, 50 libras em até 24 horas. Mas é raro, para turistas, percorrer distâncias que levam mais de meia hora para serem transpostas.

Basta ter um cartão de crédito para fazer o aluguel em poucos minutos numa das estações de bicicleta – e será preciso reutilizá-lo toda vez que for retirar a bike. E o que acontece se perder a bicicleta – ou, por que não?, quiser levar a bike azul e cinza com a marca do banco Barclay’s e sistema de câmbio Nexus com três marchas como recordação para casa? Bem, você pode comprá-la pela bagatela 300 libras (algo como R$ 1.200).

Nesta uma semana em Londres, me vi diante da possibilidade de ser tungado pelo dito banco, direto do meu cartão de crédito. Fui retirar a bicicleta numa manhã ensolarada de verão londrino e não consegui. Liguei no número indicado no totem da estação de bicicletas ao lado do British Museum e uma simpática atendente me disse que a bike que tinha alugado no dia anterior não havia sido devolvida.

Fiquei desesperado, porque a atendente disse que faziam um débito automático do meu cartão, mas logo ela me acalmou, dizendo que uma equipe ia à estação em que eu disse que tinha devolvido a bicicleta (no caso, uma pertinho do Borough Market) verificar se ela estava lá.

Passei o dia preocupado, sem bicicleta, gastando a sola do sapato e maldizendo o serviço – lembrava-me que, na hora de devolver a bike na estação, ela tinha feito um barulho estranho, embora a luzinha verde dizendo que estava engatada tivesse piscado. Mais à noite fui tentar de novo uma bicicleta, recusava-me a descer ao metrô – e, grata surpresa, ela saiu do engate sem problemas. Liguei para o serviço de bicicletas e estava tudo normalizado, sem débito extra no meu cartão.

Portanto, dicas úteis para quem quiser conhecer Londres nas “Boris bikes”: baixar o aplicativo Barclay’s Bikes, que diz onde estão as estações e monta caminhos, como um Google Maps, dizendo onde você deve retirar e deixar a bicicleta; funciona muito bem. E, sempre, ter certeza de que a bicicleta está devidamente engatada na estação depois de devolvê-la: primeiro pisca uma luz amarela, em seguida verde. O sistema funciona 24 horas, e as bicicletas têm boa manutenção (mas antes de retirá-las, vale conferir se os pneus estão cheios e os freios funcionando).