Onde ficar: Alternativas caseiras para se hospedar pelo mundo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Onde ficar: Alternativas caseiras para se hospedar pelo mundo

Adriana Moreira

03 Dezembro 2013 | 04h15

Sim, sabemos que o assunto é polêmico. Mas um imóvel de aluguel pode garantir economia e a deliciosa sensação de brincar de ser morador. Veja as dicas para achar o seu

Em Paris, diária de estúdio pode sair por R$ 284 no Airbnb – Foto: Divulgação

Mônica Nobrega
Em vez de um quarto e banheiro, uma casa ou apartamento inteiros para chamar de seu em qualquer lugar do mundo. Trocar a estadia em hotel pelo imóvel de temporada está na moda. Tanto que o TripAdvisor, o site de viagens com maior número de acessos no mundo, lançou há pouco sua própria ferramenta de busca, e o poder público de Nova York declarou guerra ao Airbnb, maior site de aluguéis de curta duração. A cidade quer proteger o setor hoteleiro e garantir a arrecadação de impostos – lá, são 15 mil imóveis ou quartos para locação.

É bem verdade que alugar um imóvel por poucos dias é algo malvisto por governos (e moradores) de algumas cidades pelo planeta. Em Paris é proibido, mas a prefeitura ainda não pega no pé. Orlando proíbe essa modalidade de locação, o que não chega a fazer diferença: aquelas enormes casas com piscinas em condomínios de sonhos ficam todas em cidadelas nos arredores, como Kissimmee, que é até mais perto da Disney que Downtown Orlando.


Para manter a paz geral, vale lembrar que você é hóspede, mesmo que não esteja em um hotel. É imprescindível respeitar os moradores do lugar, seja prédio ou condomínio, não fazer bagunça nem barulho excessivos e pensar na segurança de todos. Além de alugar o imóvel em sites e representantes confiáveis, que você encontra a seguir:

Airbnb. O Airbnb.com afirma ter credenciados mais de 500 mil imóveis para locação em 34 mil cidades de 192 países. O site funciona em esquema de rede social. Para ver e ser visto (fazer buscas, escrever e ler resenhas, contatar proprietários), é preciso se cadastrar. O site faz a intermediação do pagamento que, em boa parte dos casos, pode ser feito com cartão de crédito.

Se o imóvel alugado não atender às expectativas, a equipe do Airbnb dá assistência ao viajante e ajuda a encontrar outro endereço. Segundo o gerente do Airbnb no Brasil, Christian Gessner, vale a pena apostar em imóveis com o selo Verified nas fotos, o que significa que as imagens foram feitas por um profissional do próprio site – serviço gratuito para os proprietários.

TripAdvisor. Lançado em setembro, o Aluguel Temporada do TripAdvisor tem mais de 400 mil imóveis em 150 países. A ferramenta tem calculadora que compara o valor do aluguel de temporada com a média das diárias de hotéis nas mesmas condições e mesmo número de hóspedes. Em Paris, na semana de ano-novo, por exemplo, o aluguel de uma casa de dois quartos custa, em média, R$ 4.894. Em hotel, R$ 6.176.

 

Temporada com ajuda especializada
De lounge vip a auxílio para ligar a lavadora de louças, empresas dão assistência para achar a casa e fazê-la funcionar bem

Mansão no portfólio da Temporada em Orlando acomoda 12 pessoas e custa R$ 250 por dia – Foto: Divulgação

Nem todo mundo se sente seguro ou tem o traquejo necessário para negociar valores e condições de um aluguel de temporada no exterior. Sem problemas: aqui mesmo no Brasil, serviços ajudam na tarefa, têm atendimento em português e ainda permitem pagamento parcelado ou com cartão de crédito.

Oasis Collections
É uma espécie de clube vip com preços que podem sair até bem camaradas. Há diárias a partir de US$ 100 em nove cidades: Buenos Aires, Punta del Este, Bogotá, Cartagena, Medellín, Miami, Rio, Florianópolis e São Paulo. Para breve, Nova York, Londres e Paris devem entrar na lista de opções.

A Oasis Collections pertence a americanos, mas tem base em Buenos Aires. Funciona como um clube vip porque se preocupa com o design dos imóveis para locação (são cerca de 600, com diárias até US$ 4 mil); conta com agentes em cada cidade que cuidam de atender a pedidos de hóspedes, de comprar ingressos e alugar carro a contratar um chef para oferecer um jantar festivo na casa alugada; e tem lounges que servem como espaços de apoio e lazer para os hóspedes, com bar, terraço e piscina. O de Punta del Este funcionará na praia de José Ignacio no réveillon, carnaval e Páscoa, e o de Buenos Aires, em Palermo, é permanente.

STB
Aluga casas e apartamentos em Nova York e Orlando. A diária nova-iorquina custa entre US$ 205, em um estúdio para duas pessoas, e US$ 365, por um apartamento de dois quartos para até quatro pessoas – as locações só são aceitas para período mínimo de um mês. A limpeza, quinzenal, está incluída.

Em Orlando, uma casa simples para duas pessoas custa desde US$ 83 a diária, e pode chegar a US$ 1.689 por um imóvel de luxo com cinco quartos e capacidade para dez pessoas. A limpeza precisa ser pedida e paga à parte.

Imper
A imobiliária brasileira com sede em São Paulo acaba de estender seus serviços aos Estados Unidos. Aluga imóveis por temporada (todos com internet e canais brasileiros na TV a cabo) em Miami e Orlando e dá assistência para alugar carro, comprar ingressos e até achar uma babá.

Em Orlando, as casas ficam todas em condomínios nas vizinhas Kissimmee, Davenport e Clermont. As diárias de uma casa de quatro quartos custam entre US$ 120 e US$ 260.

Em Miami, a empresa aluga imóveis em regiões variadas: desde os básicos Brickell, Aventura e Fort Lauderdale (desde US$ 1.350 mensais por um apartamento de um quarto) até as sofisticadas Bal Harbour, Sunny Isles e Key Biscayne (média de US$ 2 mil por mês, também com um quarto).

Temporada em Orlando
Em 2011, depois de ter passado a lua de mel em Orlando no ano anterior, o empresário Wendel Ferrari comprou uma casa na terra do Mickey e montou um site para facilitar a locação. “Aos poucos, outros proprietários mostraram interesse em colocar suas casas no meu site”, conta Ferrari. Nasceu assim a Temporada em Orlando, que fica em São Bernardo do Campo e tem, hoje, um portfólio de 54 casas para locação, todas com piscina e localizadas em condomínios, principalmente em Kissimmee.

As diárias variam de US$ 135 (três quartos, dos quais uma suíte) a US$ 250 (seis dormitórios, cinco suítes). A vantagem é poder pagar em prestações: são 20% no ato da reserva e o restante pode ser dividido, mas a última parcela deve ser quitada até um mês antes da data do check-in. A empresa conta com parceiros para resolver pequenos problemas – como uma lâmpada queimada – e ensinar a usar equipamentos da casa.

Orlando Fun Rentals
A empresa é de Orlando, mas tem atendimento em português, já que brasileiros somam de 20% a 25% de seus clientes. Segundo o corretor Martônio Pinto, que mora em Orlando há 27 anos, são 67 unidades para locação – há opções de apartamentos na área da International Drive, miolo turístico da cidade, ao lado do centro de convenções.
Diárias custam de US$ 89 a US$ 700. A mais cara é uma mansão de três andares com piscina, campo de golfe e 650 metros quadrados de área construída para até 14 pessoas.

Mais conteúdo sobre:

casas de aluguelHospedagemonde ficar