Portugal de carro pela ‘porta dos fundos’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Portugal de carro pela ‘porta dos fundos’

Mônica Nóbrega

04 Março 2014 | 03h20

Monsaraz: vá até lá depois de Évora e antes do almoço em Elvas. Foto Ricardo Freire/Estadão

Ricardo  Freire

Boa parte dos destinos mais desejados de Portugal fica a até 50 quilômetros da costa. Neste corredor litorâneo, modernas autoestradas levam de Lisboa a Óbidos, Alcobaça, Batalha, Fátima, Coimbra, Aveiro e Porto, e do Porto a Braga e Guimarães.

Quando você se afasta da costa, porém, a densidade demográfica muda completamente. Estradas secundárias e vicinais oferecem a oportunidade de uma viagem em modo slow, apreciando a paisagem e passando por cidadezinhas (perdão: aldeias) que revelam um Portugal ainda mais saboroso.


Este roteiro é para quem pode investir sete dias numa viagem entre Lisboa e o Porto pelo caminho mais longo: passando por Alentejo, Serra da Estrela e Douro.

Saia de Lisboa a Évora, no Alentejo (150 km). Esquadrinhe a cidade na chegada e, no segundo dia, explore a região: suba a Monsaraz, almoce em Elvas, encerre o passeio entre tapeçarias em Arraiolos (total: 250 km).
No terceiro dia, saia da autoestrada pela N 245, passe por Alter do Chão e, em Alpalhão, pegue a N 246 para visitar a cidade murada de Marvão. Volte pela IC 13 e durma no Crato, onde há uma ótima pousada renovada, a Flor da Rosa (total: 190 km).

Na manhã seguinte, tome a direção da Serra da Estrela pela A 23. Primeira parada do dia: Belmonte, terra de Pedro Álvares Cabral, onde o museu À Descoberta do Novo Mundo é parada obrigatória para brasileiros. Então pegue a panorâmica N 232, almoce em Valhelhas e durma em Manteigas (total: 185 km).

Saia cedo para fazer, devagarzinho, o trajeto mais bonito da Serra da Estrela, costeando o vale do Zêzere, escavado por glaciares, pela N 338. Continue pela N 230 a Torre (o ponto mais alto de Portugal) e pela N 231 a Seia e Viseu, a capital do vinho do Dão, onde você pode parar para almoçar.

Do Dão direto ao Douro: siga pela A 24 e instale-se ao entardecer num dos hotéis da região de Peso da Régua – muitos têm vistas para os terraços vinhateiros que são patrimônio da Unesco (total desde Manteigas: 170 km). Programe três noites. Faça um passeio de barco até Pinhão, visite quintas, rode pelas duas margens do Douro.

Dali, siga para o Porto (130 km), passando pelo Palácio de Mateus, em Vila Real. Ou, se quiser passar mais uma semana na estrada, vá a Bragança, em Trás-os-Montes; durma ali ou em Chaves. Prossiga a Santiago de Compostela. Desça ao Porto por Viana do Castelo, Braga e Guimarães.