As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Quando um leão cruzou meu caminho

Bruna Tiussu

16 Maio 2011 | 11h11

Dos Big Five – leão, elefante, búfalo, rinoceronte e leopardo -, o temido rei da floresta era certamente o que eu mais desejava ver de perto em um game (ou safári) nas reservas da África do Sul. Logo de manhã já conseguimos avistar um exemplar da espécie, não tão de perto quanto o esperado lá estava um macho deitado na savana. Minutos e minutos se passaram e nada. Ele parecia bem confortável naquela posição preguiçosa e mal cogitou sair dali.

Qual foi nossa surpresa quando mais tarde, no game da noite, avistamos de surpresa o mesmo bichano. Dessa vez caminhando lado a lado com nosso jipe. Segundo o guia, ele procurava a família, que deveria estar em algum canto daquela área da savana do parque Pilanesberg.

O ruído dos motores dos carros, as luzes das lanternas, as conversas paralelas e cliques das câmeras fotográficas, nada disso parecia incomodá-lo nesta empreitada. De repente, uma paradinha e o rugido mais potente (quase ensurdecedor!) que superou todas as minhas expectativas: o leão simplesmente tentava algum contato com sua leoa, emitindo um som indescritível, que pode ser escutado a até sete quilômetros de distância.

Tardou alguns minutos para a resposta chegar. Pudemos ouvir, lá de longe, um outro rugido vindo da direção oposta à que ele andava. Sinal suficiente para o macho dar meia volta, passar calmamente pela frente do nosso jipe, ainda sem se importar com barulhos, luzes e cliques, e seguir caminho atrás da família, indiscutivelmente como um rei da floresta.


Apesar da pouca luz e rapidez do espisódio, o momento em que ele atravessou na frente do nosso jipe está registrado em vídeo. Suficiente, ao menos, para ter uma ideia da sua indiferença diante da presença humana no seu território: