Rivais na Copa, destinos desejados
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Rivais na Copa, destinos desejados

Felipe Mortara

06 Dezembro 2013 | 20h29

 

Vista do alto do teleférico de Dubrovnik dá uma ideia do azul do Mar Adriático da Croácia e da conservação da cidade velha. Foto: Mônica Manir/Estadão


Junto com o fim da curiosidade sobre quais seleções enfretaremos na primeira fase, o sorteio dos grupos da Copa do Mundo 2014, realizado na tarde desta sexta-feira (6), na Costa do Sauípe, na Bahia, também trouxe um bom motivo para viajar. Aproveitando o desfecho das bolinhas e dos potes, que colocaram Croácia, Camarões e México conosco no Grupo A, o Viagem resolveu fazer um compilado de dicas básicas caso você queira viajar para conhecer a casa dos adversário antes ou depois da competição.

CROÁCIA

Cruzeiros são uma ótima forma de conhecer a Croácia e outros países banhados pelo Adriático. Mas bom mesmo é curtir praias como esta, em Split. Foto: Adriana Moreira/Estadão

Não apenas nosso primeiro desafio como adversário no jogo de abertura da Copa, a Croácia é um daqueles países que por anos ficaram distantes dos turistas. Separada da Iugoslávia no começo da década de 1990, após uma violenta guerra que afastou o turismo por anos. No entanto, com a estabilidade e a entrada na União Europeia, transformou-se num hit europeu dos últimos anos. Especialmente nos verões, quando recebe milhões de turistas do mundo todo – em 2012 foram 6,2 milhões, 8% a mais do que em 2011 – que vão atrás de suas mais de mil ilhas, espalhadas pelas azuis e impressionantes águas do Mar Adriático. Além da beleza natural em sua costa, a Croácia reúne belíssimas cidades históricas, como Split e Dubrovnik, com sua muralha branca com uma conservação de dar inveja a qualquer vizinha europeia. Por essas e outras – além da curiosidade futebolística – tem sido incluída no roteiro dos viajantes brasileiros. Conheça mais sobre o país neste site.


Difícil não se encantar com imensas, porém delicadas, obras de engenharia, como as pirâmides de Chicén Itza. FOto: Sandra Regina/Estadão

MÉXICO

De todos os primeiros oponentes, este é o país mais conhecido dos brasileiros e, com o fim da exigência de visto desde esse ano, o número de compatriotas no país só tem aumentado. Motivos para isso não faltam, e vão desde sua impressionante história, com uma abundância impressionante de sítios arqueológicos muito bem preservados, até praias e desertos com cenários deslumbrantes. Os vestígios das culturas maia e asteca se espalham pelo país, na forma de enormes pirâmides, como Chichén Itza e Teotihuacán. Impossível não falar das praias, tanto do lado do Oceano Pacífico, como Puerto Escondido, que atrai surfistas do mundo todo, ou Los Cabos, onde uma exuberante fauna marinha recebe os visitantes. O lado caribenho do país é um capítulo à parte, com maravilhas como Tulum e Playa del Carmen, além da badala Cancún, com suas baladas e resorts imensos. A Cidade do México concentra alguns dos melhores museus das Américas, como o Museo de Antropologia, que guarda uma série de preciosos tesouros dos povos pré-colombianos. Comece a planejar sua visita ao país no site Visit Mexico.

Monte Camarões, vulcão no horizonte camaronês. Uma bela vista e uma divertida caminhada. Foto: Divulgação

CAMARÕES 

Apesar de estar cercado por países com severos problemas políticos, Camarões é uma simpática república da África subsaariana que oferece boas atrações naturais e culturais , mas carece de infraestrutura turística. Camarões realmente tem praticamente tudo o que um viajante poderia querer. Um dos países com maior diversidade cultural no continente , as suas pessoas incluir reinos tribais antigas, pastores muçulmanos e pigmeus que habitam a floresta. O centro portuário e comercial  da movimentada Douala, sua maior cidade, contrasta com a relativa calma da interiorana e delicada Yaoundé, a capital. Oficialmente bilíngue, com o francês dominando como a linguagem da educação e do governo em todas as regiões, exceto a sudoeste e noroeste, onde o inglês é amplamente falado. Vulcão ainda ativo que sobe quase em linha reta a partir do mar de uma maneira espetacular, o Monte Camarões (4095 metros) é o pico mais alto da África Ocidental e atrai adeptos do trekking. Mais ao norte, os campos gramados da área de Ring Road contrastam com as montanhas Mandara, secas e rochosas, com aldeias isoladas ao redor. Tudo isso pontilhado por algumas das mais antigas florestas tropicais da África, incluindo o excelente Parc National de Waza, com mamíferos e aves em abundância, e grandes manadas de elefantes que descansam placidamente em olhos d’água na estação seca. Conheça mais no site do Ministério de Turismo de Camarões.