Terra de vinhos e de tomates verdes fritos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Terra de vinhos e de tomates verdes fritos

Fabio Vendrame

18 Fevereiro 2014 | 03h20

Vinhedos de Virgínia – Foto: Divulgação

Perto das montanhas Blue Ridge, onde há 150 anos o general Stonewall Jackson enganou as tropas da União, o norte da Virgínia hoje é uma região calma e tomada por vinícolas. O Estado tem a quinta maior produção de vinhos do país – e muitos lugares para ver a produção de perto. Aninhada entre morros do condado de Loudon, a Vinícola Chrysalis não é nada pretensiosa. Gazebos e churrasqueiras dão ao local ares de chácara. São 287 mil metros quadrados de videiras, de onde saem 19 tipos de vinhos – a especialidade são as uvas Norton. Para decidir qual garrafa levar, deguste: US$ 5, sete vinhos.

Loudon é tão perto de Washington que está na região metropolitana, embora o cenário rural não dê nenhuma evidência disso. O Aeroporto Dulles, ponto de chegada de voos internacionais à capital americana, está a 20 minutos da cidade de Leesburg.

Com pouco mais de 40 mil habitantes, Leesburg é o centro administrativo de Loudon. Entre os prédios históricos está a sede de um banco de 1888, hoje um restaurante. O Lightfoot manteve o entalhe da fachada do Peoples National Bank, itens de decoração e grandes portas de cofres – uma delas protege o estoque de vinhos. Escolha um rótulo local para acompanhar pratos sulistas como os tomates verdes fritos com queijo apimentado (US$ 10). /D.T.