As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Tintoretto do Bowie’, a nova estrela da Antuérpia

Mônica Nóbrega

20 Novembro 2017 | 18h11

Quadro, que era um dos favoritos de Bowie, agora está na Antuérpia

Quadro, que era um dos favoritos de Bowie, agora está na Antuérpia

Um quadro que pertenceu a David Bowie até o fim da vida do cantor (1947-2016) agora “mora” na Rubens House, a casa do pintor flamengo Peter Paul Rubens (1577-1640) na cidade de Antuérpia, na Bélgica. O “Tintoretto do Bowie”, como o quadro vem sendo chamado, está exposto ao público desde junho.

O nome completo do “Tintoretto do Bowie” é O Anjo Predizendo Santa Catarina de Alexandria de Seu Martírio e foi leiloado pela casa Sotheby’s no segundo semestre de 2016, menos de um ano depois da morte do cantor. Um colecionador comprou o quadro por 191 mil libras (aproximadamente US$ 250 mil) e o enviou à Rubens House com uma bonita justificativa: assim como Bowie, Rubens era um apaixonado por Tintoretto. Além disso, a Rubens House era um dos museus favoritos do cantor britânico.


O Anjo Predizendo Santa Catarina de Alexandria de Seu Martírio foi pintado pelo italiano Tintoretto (1518-1594) para a igreja de São Gimignano, que ficava na Praça São Marcos, em Veneza, aproximadamente entre os anos de 1560 e 1570.

A igreja foi demolida em 1807, mas será tema de uma exposição durante a próxima Bienal de Veneza, em 2019. Tintoretto era veneziano e foi lá que pintou o quadro. A Rubens House já confirmou que o “Tintoretto do Bowie” será exposto em sua cidade natal durante a Bienal.

A pintura pertenceu a Bowie durante mais de 30 anos e foi uma das primeiras compras de obras de arte feitas pelo cantor – que tinha preferência por artes moderna e contemporânea, como Jean-Michel Basquiat e Damien Hirst. A chegada da peça ao acervo da Rubens House é, atualmente, o principal foco de publicidade do museu, que guarda também a riquíssima coleção pessoal de Rubens, entre obras de arte, móveis e pertences. Tudo está no palacete em que ele viveu com a família e no qual pintou muitas de suas obras importantes.

O ingresso custa 8 euros (R$ 31).