Tudo por um capacete
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tudo por um capacete

Adriana Moreira

13 Novembro 2012 | 11h30

Adriana Moreira

Entrei no carro que me levaria do aeroporto de Melbourne até meu hotel, bem no centro da segunda maior cidade australiana, e não demorou muito para eu me decidir como exploraria a área no dia seguinte: de bicicleta. Sim, Melbourne também aderiu ao sistema de compartilhamento de magrelas (veja mais informações no site), que começa a se tornar mais popular também no Rio e em São Paulo.

Há apenas um detalhe: na Austrália, uma lei obriga que ciclistas usem capacete – quem não obedece pode levar uma multa de souvenir. O jeito é comprar. A boa notícia: nas lojas 7 Eleven há capacetes por 5 dólares australianos (R$ 10), azuis da cor das bicicletas, com o nome da cidade escrito. A má notícia: eles não estão disponíveis em todas as lojas.

Entrei em quatro lojas no meu caminho do centro ao Queen Victoria Market (algo em torno de 10 a 15 minutos) até finalmente encontrá-los. Em  muitos dos pontos de compartilhamento há cartazes indicando as lojas próximas que deveriam ter os tais capacetes – foi assim que, finalmente, achei o meu, apesar do desafio de entender a numeração das ruas.


Com o capacete em mãos, fui fazer meu registro em um dos 50 pontos de locação. É tudo muito simples: basta seguir as instruções (e ter um cartão de crédito em mãos).  Você escolhe que plano quer fazer (diário, semanal, anual) e imprime o papel com o código com o qual a bicicleta é liberada.

Preste atenção no tempo de pedalada: até meia hora é grátis, mas depois você paga, além da assinatura (optei pela diária, 2,60 dólares australianos, R$ 5,50) um valor pelas horas extras. Meu conselho? Pedale meia hora, devolva a bicicleta e continue depois. Afinal, você vai querer fazer várias paradas para tirar fotos. Eu pedalei assim o dia inteiro e não gastei nenhum tostão a mais além da assinatura.

Vale a pena: só é preciso esperar 2 minutos entre devolver uma bicicleta e retirar a próxima. Tudo muito simples e eficiente. No domingo no qual aluguei a magrela, locais e turistas se misturavam às margens do Rio Yarra, alguns apenas aproveitando para se esparramar ao sol, outros disputando mesas nas dezenas de barzinhos de vista exuberante. Quer melhor cenário para uma pedalada?

Em tempo: trouxe meu capacete comigo.

A estação mais popular, na Federation Square - não achei capacetes ali perto