Uma noite no museu. Em Paris e sem filas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Uma noite no museu. Em Paris e sem filas

Fabio Vendrame

21 Janeiro 2014 | 15h21

Adriana Moreira

Quem viaja sozinho sabe: nada melhor que ocupar bastante o dia para não se sentir solitário à noite, ao chegar ao hotel. Mas, nas minhas férias em Paris, decidi usar um outro artifício: aproveitar os horários estendidos dos museus. A ideia nem era evitar multidões (estava preparada psicologicamente para um programa de índio), mas, no fim, me deparei com espaços bem menos concorridos do que durante o dia.

A verdade é que tudo aconteceu meio por acaso. Uma incessante (e irritante) chuva outonal impediu meus planos de pedalar pela cidade. E eu estava em frente ao Musée D’Orsay. A fila, logicamente, era quilométrica e a única maneira de evitá-la era com um Paris Museum Pass (parismuseumpass.com). Comprei na banca de jornal ao lado do museu a opção que me dava direito a quatro dias (56 euros) de imersão artística – você pode escolher também para dois (42 euros) ou seis dias (69 euros).


Foi a decisão mais acertada da viagem. Entrei no Orsay naquela tarde e, quando minhas pernas reclamaram, decidi deixar as outras coleções para ver na quinta-feira, dia em que o museu não fecha às 18 horas, mas às 21h45. Perfeito: corredores mais vazios e menos disputa para apreciar os quadros de perto.

Fiz o mesmo com o Louvre, que às quartas e sextas também fecha às 21h45. Eu havia circulado por ali de dia e observado a multidão em pé, irredutível sob a chuva. À noite, a fila do lado de fora era inexistente e, embora a Monalisa estivesse bastante disputada, chegar perto dela foi fácil e civilizado. Pude observá-la, tirar uma foto com o celular, sentar em um banco próximo e voltar para admirá-la novamente, sem nenhuma cotovelada sequer.

O Quay-Branly fica aberto até as 21 horas às quintas, sextas e aos sábados; o Pompidou, até as 21 horas diariamente (menos às quintas-feiras, quando não abre), e o Rodin só fecha às 20h45 às quartas. Todos incluídos no Museum Pass, que dá direito a entrada livre em mais de 60 museus e monumentos da capital francesa.

Infelizmente, a maioria das instituições não aceita o cartão nas exposições temporárias, portanto, fique atento.

Mais conteúdo sobre:

FrançaMuseusParisFrançaMuseusParis