Unesco reconhece mais 26 sítios como Patrimônio Mundial
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Unesco reconhece mais 26 sítios como Patrimônio Mundial

Fabio Vendrame

26 Junho 2014 | 14h34

Qhapaq Ñan, rede de caminhos inca, integra seis países da América do Sul – Foto: Proyecto Qhapaq Ñan via NYT

Um total de 26 novos locais foram inscritos na lista de Patrimônio Mundial da Unesco, entre os quais o sistema viário andino Qhapaq Ñan, ao término da 38.ª cúpula da entidade. A celebrada lista tem agora 1.007 sítios em 161 países.

O Delta do Okavango, em Botsuana, foi o sítio de número 1.000 a ser inscrito, além de outras paisagens naturais, como Stevns Klint (Dinamarca), o Parque Nacional do Himalaia (Índia) e o santuário de fauna e flora selvagens da cadeia do Monte Hamiguitan (Filipinas).

Os novos sítios culturais incluídos são o sistema viário andino Qhapaq Ñan (que costura caminhos em seis países sul-americanos: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru), o centro histórico de Yeda e a Porta de Meca (Arábia Saudita), o Grande Canal da China e os assentamentos pré-colombianos com esferas rochosas do Diquís (Costa Rica).


Também constam da nova lista a abadia de Corvey (Alemanha), os montes monumentais de Poverty Point (Estados Unidos), o conjunto histórico e arqueológico de Bolgar  (Rússia) e a gruta ornamentada de Pont d’Arc (França).

E mais: o poço Rani-ki-Vav (Índia), o sítio arqueológico Shahr-i Sokhta (Irã), a cidadela de Erbil (Iraque), as cavernas de Maresha-Bet Guvrin (Israel), a paisagem vitícola de Piemonte (Itália), a manufatura da seda em Tomioka (Japão), um trecho da Rota da Seda (Quirguistão, China e Cazaquistão) e as cidades antigas de Pyu (Myanmar).

A lista atualizada de Patrimônio Mundial fica completa com a fábrica Van Nelle (Holanda), a cidade de Namhansanseong (Coreia do Sul), as aldeias otomanas de Bursa e Cumalikizik (Turquia), a antiga cidade de Pérgamo (também na Turquia) e o complexo de Trang An (Vietnã).

Além disso, o comitê da Unesco colocou na lista de patrimônios em risco a vila de Battir (Palestina), a cidade de Potosí (Bolívia) e a reserva de caça de Selous (Tanzânia).

Na abertura da reunião em Doha, em 15 de junho, o primeiro-ministro do Catar, Abdalá bin Jalifa al Zani, anunciou a doação de US$ 10 milhões a um novo fundo para proteger os sítios tombados afetados por conflitos ou desastres naturais.

A próxima cúpula da Unesco terá lugar em Bonn, na Alemanha, de 28 de junho a 8 de julho de 2015. (EFE)

Mais conteúdo sobre:

Patrimônio MundialUnesco