Uma voltinha na Itália e Croácia (passando pela Eslovênia e Bósnia)

Uma voltinha na Itália e Croácia (passando pela Eslovênia e Bósnia)

Karina Oliani

28 Setembro 2017 | 22h54

PARTE III

Apenas recapitulando, nossa viagem começou em Milão e no primeiro post contei em detalhes como nosso giro pela Europa começou: Passamos por  Veneza e depois cruzamos a fronteira para a Eslovênia, lá conhecemos cavernas incríveis e um castelo medieval único.

Depois no 2o post falei sobre um patrimônio mundial da UNESCO que conhecemos, o maravilhoso Plitivice Lakes National Park na Croácia e logo na sequencia mergulhamos na cultura Bosnia-Herzegovina da cidade medieval de Mostar.

Hoje começamos a 3ª parte dessa viagem que nos levará as 3 das principais ilhas dálmatas. Opa esse nome te lembrou aqueles cachorrinhos com sua típica pelagem manchada?! Pois é, a raça canina Dálmata vem justamente da Croácia.


Das 4 regiões da Dalmácia hoje exploraremos os arredores de Split. Devido a correntes marítimas e ao modo como os ventos sopram no Adriático, aqui a água do mar é mais limpa e quente  que no lado italiano. A costa inclui um largo número de ilhas, estreitos, baías e praias. Absolutamente incrível para quem, como eu, curte aproveitar o mar.

Após partimos de Mostar na Bósnia, seguimos pra nossa 1a ilha: Brac (pronuncia-se Brach!)

Começamos pelo angulo que mais gosto: o angulo desde o mar! Em Bol, uma cidade de Brac, é possível alugar barcos, com ou sem marinheiro, por um dia inteiro e explorar essas aguas lindas e transparentes da costa dálmata. Passamos em frente a peninsula de areia branca e seguimos ruma a Lagoa Azul. Um lugar maravilhoso (vou deixar que as fotos falem por si) e badalado, repleto de barcos.

No dia seguinte, fomos finalmente a praia caminhando. Muito próxima à Bol e vizinho a Zlatini Rat, existe uma praia também para os adeptos do nudismo. Como seguimos em frente chegamos nessa peninsula onde é possível se instalar nos seus dois lados. Quem for pra direita não encontrará cadeiras de praia ou barracas viradas pra areia, ops corrigindo, para as pedrinhas. Se quiser estender sua canga a dica é levar um colchonete pra conseguir relaxar nesse chão pedregoso.

Do outro lado ha cadeiras e guarda-sois para alugar, barracas com todos os tipos de comidas (incluindo sucos, shakes e petiscos saudáveis). Os ventos constantes fazem essa praia ser muito procurada pelos praticantes de kite e windsurf.

Para aproveitar o fim de tarde, fomos aproveitar uma das melhores vistas de toda a viagem e subimos o Monte Vidova Gora, de onde é possível ter a perfeita noção desse fenômeno natural que acontece na região e que faz com que uma faixa de areia em forma de língua triangular se estenda sobre o mar cristalino por cerca de meio quilômetro. La em cima geralmente venta e faz um friozinho, leve blusa!

Daqui pensei: “Essa praia realmente merece o titulo que leva!”

Bol, que é uma cidade da ilha de Brac. Tem uma orla charmosa, conhecida por Riva que fica próxima ao porto, onde ficam restaurantes e bares com restaurantes gostosos e uma feira a céu aberto. Ainda em Brac veja uma dessas baias, a Lovrecina Bay:

Apos um dia inteiro em terra ja deu saudades desse mar perfeito! Acordamos e novamente locamos um barco pra nos levar pra famosa Gruta Azul. No caminho paramos na Gruta Verde, mas que sejamos francos – não chega aos pés dessa:

A fila estava grande! Dentro da gruta há espaço para, no máximo, 2 barcos por vez. E muita gente esperando pra comprar ingresso. Mas vale a pena né?

No outro dia fomos conhecer uma das maiores ilhas dálmatas: Hvar. O ideal pra conhecer essas ilhas é estar “motorizado”.

A bordo do nosso confortável ASX – Mitsubishi demos a volta toda na ilha, só dirigir através dos campos de lavanda já vale muito a pena, mas ainda paramos em alguns dos lugares mais bonitos de Hvar, como a praia de Dubovica:

Por fim conhecemos Vis, uma das ilhas menos habitadas e mais selvagem. Daqui, quero destacar um túnel enorme, escondido entre as rochas em pleno mar, que serviu de esconderijo e estacionamento para navios e submarinos durante a 2a Guerra Mundial. O lugar é impressionante e vale a visita.

A Baia de Stiniva tem um cenário de tirar o fôlego. Por ser uma das praias mais famosas de Vis, difícil vai ser encontrar um cantinho tranquilo na praia então optamos por ficar baseados no barco e dar uns pulos no mar pra aproveitar essa água azul.

Na semana que vem chegamos ao 4o e ultimo post desse giro maravilhoso pela Europa durante o verão. Até lá!

Fotos: Marcelo Rabelo

Mitsubishi Motors

PUMA

SPOT

Canon Brasil

Go Pro