Brincadeira de criança

Brincadeira de criança

Bruna Tiussu

14 Agosto 2017 | 14h00

Meninos preparados para o jogo do elástico. Foto: Bruna Tiussu

Abu, de 8 anos, aluno da primeira série, está sempre cercado de outras crianças. Ou porque traz para a escola seu carrinho azul ou porque traz seu livrinho de adesivos de carros. Comecei a reparar nisso e me dei conta de que existe esse frenesi ao redor dele simplesmente porque as demais crianças não têm um carrinho ou um livro de adesivos.

Rola aquela curiosidade infantil sobre o novo, todos querem experimentar os brinquedos moderninhos do colega. Mas isso não significa que eles não tenham como se divertir. Pelo contrário. Quanto mais convivo com os alunos da escola mais me surpreendo com sua capacidade de transformar objetos simples — e inusitados — em pura diversão.

Dentre os brinquedos “handmade” deles meu preferido é o boneco de lenço. Em minha primeira semana de aula, Ema, um dos alunos de que mais gosto (voluntários podem ter seus favoritos, né?), roubou minha atenção em plena aula de spelling ao começar a montar um boneco. Achei sensacional!


Quase todos os estudantes têm um lenço em sua mochila — eles usam para secar o suor do rosto (o calor desta terra…) e enxugar as mãos. Logo, quase todos podem ter um boneco. Ema e Juliana me emprestaram seu lenço e me ensinaram a fazê-lo. Vejam aí:

As vassouras da escola são outro objeto que viram brinquedo. Não as convencionais, como estamos acostumados, mas as menores, feitas com palhas arredondadas amarradas com um pedaço de sacola plástica. Os alunos são responsáveis por limpar as mesas e varrer o chão após o almoço, então de fato usam as vassouras em sua função convencional. Mas também adoram transformá-las em espadas, escudos ou armas. Ainda brigam por pedacinhos de palha que se soltam para moldar pequenos brinquedos.

Vassoura de palha usada para varrer e para brincar. Foto: Bruna Tiussu

As tirinhas de palha também viram alvo no jogo de elástico. A primeira vez que vi Jeff, da terceira série, arremessando um elástico de dinheiro, tipo estilingue, achei que deveria intervir. Falei que era perigoso, que ele podia machucar alguém e tomei o elástico dele.

No dia seguinte, no intervalo, fui apresentada ao tal jogo de elástico. Com as moedas que eventualmente ganham dos pais, as crianças compram saquinhos destes elástico de dinheiro, algo bem barato aqui. Assim cada um tem sua munição para o jogo. Primeiro, posicionam o alvo (a tirinha de palha) na parede e, distribuídos lado a lado, começam a arremessar os elásticos com os dedos. Ganha aquele que derrubar o alvo.

Fiquei super envergonhada de ter tomado o elástico de Jeff. E me redimi dando 20 pesewas (20 centavos de cedi, a moeda local) para ele comprar um novo saquinho.

Alguns dias depois, à tarde, ele apareceu aqui na escola com novos elásticos. Começou a jogar com outras crianças e resolvi entrar na disputa. Eles me ensinaram o jeito certo de segurar o elástico, o manha para ele chegar mais longe. Mas não consegui derrubar o alvo. Um dia eu ainda chego lá.

Mais conteúdo sobre:

básico da ÁfricaGanaKumasiÁfrica