Ensino alternativo

Ensino alternativo

Bruna Tiussu

13 Novembro 2017 | 11h55

Alunos do primário 5 que construíram um jogo de memórias. Foto: Bruna Tiussu

A experiência na escola de Gana me deixou mais à vontade para encarar a sala de aula aqui no Amasiko. Ensino inglês para primários de 1 a 4 e aproveito a liberdade didática que me deram para bolar atividades que fogem do esquema que os professores adotam — o famoso matéria-na-lousa-copiem-e-façam-exercícios.

Se essas atividades têm colocado conhecimento novo nas cabecinhas dos alunos eu ainda não sei. Mas é impressionante ver a reação deles diante da chance de lidar com materiais diferentes.

Diferentes para eles, veja bem. Pois estou falando de lápis de cor, canetinha, giz de cera, cartolina e tesoura. Objetos que muitas crianças mundo afora têm acesso diariamente.


Nos primários 1, 2 e 3 exploro mais vocabulários, já que o inglês dos alunos ainda é muito, muito básico. Aproveito também pra ensinar algo de boas maneiras, pois eles têm o horroroso hábito de não falar por favor e obrigado — fiquei chocada, aliás, ao descobrir que na língua rukiga não existe a palavra por favor.

Aulas de vocabulário com a ajuda de fichinhas. Foto: Bruna Tiussu

No primário 5 me transformei em professora de geografia. E tenho aprendido um monte sobre o continente africano junto com os alunos. Eles acabaram de construir um jogo de memórias (algo que não conheciam) com as bandeiras dos países africanos. Ficou demais!

Já no primário 6 tornei-me professora de ciências. O que tem sido meu maior desafio. Mas graças ao Google me viro com experimentos e jogos sobre elementos da natureza — tema que está na grade curricular dessa série.

Ensinando as propriedades da água para o primário 6. Foto: Eduardo Asta

Como continuo achando que um professor voluntário pode ter seus favoritos, aqui no Amasiko minha série predileta é o primário 4. Atendendo a pedidos dos alunos de lá, então, preparei na semana passada uma aula de música, com uma canção (claro) dos Beatles.

Depois do festerê diante da minha caixinha de som (também nunca haviam visto uma), eles aprenderam a letra de Here Comes the Sun, uma dancinha básica e soltaram a voz.

Ainda que do jeito tímido caracteristico dos Bakigas, a alegria de cada criança era evidente. Veio o intervalo, as aulas seguintes e no fim do dia ainda estavam cantarolando “here comes the sun…” E um monte de alunos das outras séries correram atrás de mim pedindo para ensiná-los a canção também. Porque a música é isso, né, das coisas mais mágicas e poderosas que o ser humano já criou.

Confira aqui os alunos aprendendo a canção dos Beatles: