2011, ano da música latinoamericana no Brasil

Soy Loco por ti, Brasil! O ano foi marcado por festivais e muitos shows solo de artistas e bandas da América do Sul.

Paulina Chamorro

23 Dezembro 2011 | 18h49

Confesso que gosto das listas musicais de final de ano e neste blog não poderia deixar de registrar o número impressionante de shows de hermanos no Brasil.

Começando com o projeto do cantor e compositor Moska, “Soy Loco por Ti América”, que rolou  em julho, com shows  em São Paulo e Brasília, com participação de quatro artistas e bandas da América do  Sul, que se apresentavam com artistas brasileiros. Destaque para o show da banda colombiana Los Aterciopelados, uma das mais influentes do continente, com a brasileira Fernanda Takai.
A vocalista Andrea Echeverri, muito ligada às questões ambientais conversou comigo um pouco antes da chegada ao Brasil sobre o lançamento do seu segundo disco solo.

Veja o clipe de “El Albun’, uma das musicas mais conhecidas dos colombianos pro aqui.

 A preocupação e o ânimo de Moska pra fazer esta ligação é bem forte. Do projeto ‘Soy loco por ti…’  ele contou que existe a possibilidade que siga em 2012. E para uma entrevista por mail que ele me concedeu para a matéria Milongueiro do Rock, sobre o seu amigo, o cantor e compositor Kevin Johansen, Moska afirma “o Brasil é um país que naturalmente convive (e celebra) com a própria diferença cultural. Por que não fazer isso também com os países/culturas latinos? Às vezes acho que isso é quase um dever nosso. Pelo poder de abrangência do nosso abraço.”


Um abraço cada vez mais caloroso.  Kevin Johansen fez show em São Paulo e no Rio em novembro. Casa lotada todos os dias. Sem contar no calor das platéias dos shows dos estelares Shakira e Ricky Martin. Nem preciso comentar muito. Me quedé ‘Loca’.

Já o festival Telefônica Sonidos, em agosto deste ano, também reuniu uma variedade muito grande de artistas e bandas latinas. Destaque para mexicana Julieta Venegas e sua dobradinha com Marisa Monte e também para o super agito provocado pelos venezuelanos Los amigos invisibles.

Aqui, Julieta e Marisa, no acústico da mexicana

Tivemos ainda a apresentação da rapper chilena Ana Tijoux, no  Sesc Pompéia. Já falei dela neste blog, onde cito como Anita conseguiu construir a música perfeita para a nova musica de protesto, no caso, para os estudantes chilenos.

E finalmente queria deixar o registro da passagem magistral da Orquestra  Buena Vista Social Club com Omara Portuondo. Em São Paulo e no Festival Paraty Latino. Encantou a todos e também consegui conversar com a diva cubana. Leia o texto Buenissima 

Para fechar o post, o resumo de tudo: En Blanco y negro, com Moska e Jorge Drexler (que também esteve este ano em São Paulo).

Depois de tanta qualidade musical, e tanta receptividade, só posso esperar: que venga 2012!

Dale!