A pesada pegada do turismo

A pesada pegada do turismo

Paulina Chamorro

13 Maio 2018 | 14h12

foto: Paulina Chamorro

No meu último post (faz tempo, eu sei. Vou me redimir em alto estilo) me referi ao grande encontro de ecoturismo apresentado na Costa Rica e que fui conferir.  Por lá escrevi sobre as incríveis possibilidades de tolerancia, acesso a novas culturas, proteção ambiental, ajuda no desenvolvimento de comunidades, entre outras coisas positivas que o turismo hoje oferece, num mundo que viaja muito e está hiperconectado.

Mas há uma semanas saiu uma pesquisa que me deixa quase na obrigação de compartilhar com vocês. Se refere aos impactos climáticos do turismo. E não é só calculo de CO2 dos aviões, não. Se calculou desde as emissões globais  e agora também o impacto do turista no seu destino usando bens, serviços, alimentos, bebidas e agricultura).

E o resultado é bem preocupante. Nada menos do que 8% das emissões de gases de efeito estufa da humanidade!  Em apenas cinco anos, as emissões do setor cresceram 15%, de 3,9 bilhões para 4,5 bilhões de toneladas de gás carbônico equivalente (CO2e). Muita gente viajando, aumentam as emissões. Básico.


A pesquisa é da Universidade de Sidney, Australia e publicada no periódico Nature Climate Change.

Para saber mais, indico o Observatório do Clima, que publicou com o sugestivo: Até nas férias a gente ferra o planeta