Piazolla por el ‘Pipi’ Piazolla

Piazolla por el ‘Pipi’ Piazolla

Neto de Astor Piazolla se apresenta com o sexteto de jazz Escalandrum domingo, dia 17, no Festival Caros Hermanos, em São Paulo

Paulina Chamorro

16 Março 2013 | 13h44

foto Divulgação

Neste domingo, dia 17, depois de três anos da incrível apresentação no  Bridgestone Music Festival, o sexteto de jazz Escalandrum volta à São Paulo para o festival Caros Hermanos, no SESC Vila Mariana.

Liderado pelo neto de Astor Piazolla, Daniel ‘Pipi’ Piazolla, o sexteto de jazz tem o mérito e o sobrenome para transformar a incomparável sonoridade de “el Loco” Piazolla.

Conversei com Daniel esta semana, para o programa Estadão Noite, da Radio Estadão, juntamente com o apresentador e fiel escudeiro para sons latinos, Emanuel Bomfim.


‘Pipi’ falou sobre o peso de carregar Piazolla no sobrenome, missão que leva com a maior alegria e orgulho.

A imersão do Escalandrum no universo do avô de Daniel se deu em 2010 e resultou no incrível disco ‘Piazolla plays Piazolla’, com indicação ao Latin Grammy. Sobre transformar em jazz músicas como ‘Adiós Nonino’ e outros clássicos de Astor, ‘Pipi’ afirma que a música do seu avô sempre foi popular, uma premissa que Astor sempre defendia. As versões do sexteto na verdade são novas músicas, onde o acórdeon não entra.
A surpresa do novo já começa por ai.

Em tempo: Escalandrum é o nome de tubarão. E a pesca é um prazer de avô, pai e filho Piazolla, por isso a homenagem em forma de nome do sexteto.

Imperdível!

Aqui a versão de Escalandrum para Adiós Nonino, durante o Bridgestone Music Festival, em 2010, São Paulo

E aqui, Astor Piazolla em ação com Yo Yo Ma, em Libertango

Vou parar por aqui porque sou admiradora de Astor Piazolla e toda sua liberdade musical. Foi tão difícil escolher um vídeo para colocara aqui…  E você, consegue definir que som de Astor mais gosta?