Si, tenemos tradición en Parques!

Si, tenemos tradición en Parques!

O Parque Nahuel Huapi, na Patagônia Argentina, é o terceiro mais antigo das Américas.

Paulina Chamorro

27 Fevereiro 2012 | 21h20

Lago Gutierrez, no Parque Nacional Huapi, na Patagonia Argentina



Estou de volta a um dos territórios mais impressionantes do Planeta. A Patagônia.
Desta vez do lado argentino.
Vou começar contando uma história impressionante de áreas protegidas que conheci estes dias. Estou na área do Parque Nacional Nahuel Huapi, criado oficialmente em 1934. É o terceiro mais antigo das Américas.
Toda a história começa com um personagem quase mítico no sul da Argentina, que inclusive agora dá nome a um dos principais atrativos: Perito Moreno.
Francisco Pascácio Moreno foi naturalista, botânico, político e mais importante que tudo, um homem com um pensamento a frente de seu tempo.
Após varias excursões, um pouco antes de 1900, ele se apaixonou pela região patagônica. Logo depois, ao trabalhar para o governo argentino como perito da comissão de limites entre argentina e Chile (naquela época não eram muito claras as divisas dos países neste extremo do continente), ele acaba conseguindo ampliar o espaço territorial argentino. Perito Moreno ganhou áreas do governo, mas preferiu em vez de deixá-las particulares, transformar numa das grandes maravilhas de visitação do sul do continente. Em 1903 doou, ou seja, devolveu ao governo uma área que ia de Neuquén a Rio Negro, com a condição de transforma-la em área protegida com visitação. Esta região, então passaria ser a do Parque Nacional Nahuel Huapi e a Argentina seria o terceiro país das Américas a ter um Parque Nacional.

Francisco Moreno, o famoso Perito Moreno


Em 1939 – percebam que visão!- ele estrutura o Parque com mais de 1200 funcionários e guias bilíngues (tem algum parque brasileiro que tenha isso hoje?) e com criação do Hotel Llao LLao. Introduziu varias espécies de trutas como uma forma de atrair o turismo de pesca.
Hoje, os brasileiros conhecem mais da província de Rio Negro a cidade de Bariloche, e especialmente no inverno.
Em conversas com o ministro de turismo da província de Rio Negro, Angel Bosch, ele me relatou que existe um grande interesse em diversificar as opções de turismo em Bariloche, justamente promovendo outras atividades de aventura que existem dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi. Até o momento já fiz rafting nível 4 pelo Rio Manso, que nasce nas montanhas e desemboca no Oceano Atlântico. E também um trekking pelo Cerro Catedral, onde dá pra ter um visual de dois lagos imensos, o Nahuel Huapi e o Lago Gutiérrez, batizado assim pelo próprio Perito Moreno em homenagem a um mestre.

Visual do alto do Cerro Catedral. Lá embaixo Bariloche, Lago Gutiérrez e Lago Nahuel Huapi

Continuo acompanhando a Expedição Bariloche Aventura, e em breve trago mais informações a vocês.