Viagem

Esporte combina com férias, sabia?

Aprender uma nova modalidade pode ser um dos pontos altos dos seus merecidos dias de descanso

30/12/2014 | 03h00    

Bruna Toni - O Estado de S. Paulo

Na Lagoa da Conceição, a Ventuus oferece cursos de kitesurfe 

Na Lagoa da Conceição, a Ventuus oferece cursos de kitesurfe  Foto: Divulgação/Ventuus

O aprendizado de uma modalidade esportiva pode dar um sabor extra para a viagem de férias. Escolha a que combina com você. 

ESPORTES DE PRANCHA

Gabriel Medina saiu das areias de Maresias, no litoral norte de São Paulo, para ser campeão no Havaí. Você não precisa chegar tão longe – ficar de pé na prancha já é uma vitória para quem está começando. Em Ubatuba, um dos melhores points do Estado, a Escola Zecão de Surfe (13- 3845-1021) cobra R$ 150 a primeira aula, de 2 horas, para iniciantes – contrate mais aulas para ter desconto.

No Guarujá, na Praia da Enseada, as aulas da Curvão Surf School (curvaosurfschool.com.br) duram 1h20 e custam R$ 80 – é possível optar pelo pacote com cinco aulas, por R$ 300. A escola oferece ainda aulas de stand up paddle (sup), que vem ganhando adeptos graças à facilidade para aprender – em um dia, já é possível ficar de pé. A aula custa R$ 120, também por 1h20.

A maioria das escolas de stand up paddle fica no litoral, mas é possível aprender na capital e no interior. As aulas da Bohralah (bohralah.com.br) ocorrem no Yacht Club Paulista, na Represa Guarapiranga, e custam R$ 100 por pessoa. Na região de Sorocaba, as aulas (R$ 160) da SRSup (srsup.com.br) ocorrem na Represa de Itupararanga.

O princípio de ficar em pé sobre uma prancha também se aplica ao wind e ao kitesurfe – mas, nesses casos, o vento é elemento fundamental. A Lagoa da Conceição, em Florianópolis, está entre os bons destinos para aprender ambas as modalidades. Na Ventuus (ventuus.com.br), você desembolsa R$ 500 por módulo (cada um com seis aulas).

O vento farto do Nordeste criou vários points disputados de kitesurfe. Em Jericoacoara (CE), as próprias pousadas ajudam na escolha de cursos e aluguel de equipamentos, que, juntos, custam desde R$ 800. Para sair do senso comum, dê um pulo em Barra Grande (PI). A cidade tem atraído tantos turistas para a prática do kitesurfe que a pousada BGK (bgk.com.br) decidiu atrelar ao seu serviço de hospedagem o curso para iniciantes. São 10 horas de aula, divididas em dois ou quatro dias. O pacote, com equipamentos, sai por R$ 1.300. 

MERGULHO

Quando as belezas estão submersas, um curso de mergulho faz toda a diferença. A visibilidade debaixo d’água passa dos 40 metros em Fernando de Noronha, um dos mais belos pontos para a prática no Brasil. Não é barato: o curso básico na Noronha Divers (noronhadivers.com.br) custa R$ 2 mil. São quatro dias de aulas (teóricas e práticas) e sete mergulhos.

Como a viagem à ilha já vai levar boa parte de suas economias, pode ser melhor fazer um curso antes e, em Noronha, pagar apenas pelo mergulho. A Região dos Lagos, no Estado do Rio, tem várias escolas. A Dive Brasil (divebrasil.tur.br), por exemplo, oferece o curso para iniciantes por a partir de R$ 980, com aulas teóricas e práticas e quatro mergulhos.

Em São Paulo, a ScubaPoint (scubapoint.com.br) tem um plano básico para iniciantes por R$ 490. As aulas teóricas ocorrem na capital e, as básicas, em Paraty, num fim de semana – mais R$ 1.200, com hospedagem, traslado e quatro mergulhos.

PARAQUEDISMO

A 116 quilômetros de São Paulo, Boituva é a meca do paraquedismo. São oito níveis até conquistar o certificado – e muitas idas e vindas à cidade. Na Skycompany (paraquedismoskycompany.com.br), a parte teórica dura um dia inteiro (é possível dividi-la ao longo da semana). Depois vem a parte prática e, até a graduação, você gasta R$ 4.380. Outra boa escola por lá é a Paraquedismo Boituva (paraquedismoparaquedas.com.br), com dois planos. O Pacote AFF custa R$ 4.210 e inclui filmagem do instrutor.