A jornada extraordinária de um profeta

Falar com Deus não é para qualquer um. Talvez Abraão ou Jesus Cristo, que viveram em outros tempos. Hoje, quem troca ideias com o Senhor das Esferas tem lugar certo em um asilo de loucos. Por isso, a epopeia de Joseph Smith é extraordinária. Em 1830, aos 24 anos, depois de uma série de visões celestiais, ele publicou o Livro de Mórmon. Em pouco tempo, tinha milhares de seguidores, construiu templos e fundou uma igreja. Fugindo da perseguição, passou por Ohio, Missouri e Illinois, onde morreu linchado, aos 39 anos.

O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2012 | 02h40

Brigham Young, seu sucessor, manteve o canal direto com Deus e achou a terra prometida em Utah. Ele teve 17 mulheres e 56 filhos. A poligamia, comum nos primeiros anos, foi abolida em 1896. Mas é difícil libertar-se de certos hábitos. Em regra, os mórmons não bebem álcool, café ou chá preto. Hoje, 70% da população de Utah é mórmon e o Estado é um dos mais conservadores do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.