Vivian Codogno/ Estadão
Vivian Codogno/ Estadão

Abel Tasman: pinguins e golfinhos ao alcance dos olhos

O menor parque nacional da Nova Zelândia é parada obrigatória para quem busca contato intenso com a natureza

Vivian Codogno, O Estado de S. Paulo

23 Janeiro 2018 | 04h28

Ponto alto da visita à Nova Zelândia para quem busca contato intenso com a natureza, o Abel Tasman é o menor parque nacional do país – e também o mais famoso. É possível acessar praias desabitadas e trilhas que chegam a durar seis horas por barco de Marahau ou Kaiteriteri, ambas cidades próximas a Nelson. Antes mesmo do desembarque, já se nota a atmosfera hippie do lugar: famílias inteiras de mochileiros se mostram dispostos a contar sobre suas vidas depois de cinco minutos de conversa. 

Aos adeptos do luxo zero na hospedagem, o Departamento de Conservação da Nova Zelândia coloca à disposição deles cabanas com colchões, água, banheiro e equipamentos de cozinha, além de áreas de acampamento com água, banheiros e fogueiras no parque. Em todos os casos, o acesso é gratuito, porém é necessário fazer reserva pelo site

Nem pensar? Sem problemas: há dois lodges confortáveis na região, o Meadowbank Homestead e o Torrent Bay, que montam pacotes de hospedagem sob demanda. Empresas como a Wilsons Abel Tasman organizam tours de um ou mais dias, que envolvem táxi aquático, hospedagem, trilhas e passeios de caiaque. Os programas mais simples começam em NZD 15 (R$ 35).

Um dos grandes atrativos do Abel Tasman dá as caras logo no barco até Totaranui (a praia mais remota da parte sul do parque): uma pequena família de focas toma sol perto do mar. Vez ou outra, pinguins nadam próximos às pedras e os olhos mais esforçados enxergam golfinhos saltando ao longe. Quase no fim do caminho, uma integrante da tripulação chama a atenção do grupo: na quarta-feira anterior, duas baleias orcas foram avistadas naquele ponto. Não demos a mesma sorte. Quem sabe da próxima vez?

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.