Divulgação
Divulgação

Adrenalina a 120 km/h no Parque Olímpico de Utah

Encarne um atleta descendo o circuito de 1.300 metros criado para a Olimpíada de Inverno de 2002 em um bobsled

Daniel Gonzales, O Estado de S. Paulo

24 Janeiro 2017 | 04h30

PARK CITY - Esquiar pode até dar um frio na barriga nas descidas mais íngremes. Mas quando se fala em adrenalina, não há lugar

melhor para elevá-la ao máximo nível do que o Parque Olímpico

Para isso, você vai ter de encarar uma descida a 120 km/h no bobsled. Se você assistiu ao filme Jamaica Abaixo de Zero (1993), em que um grupo de atletas jamaicanos que nunca tinha visto neve na vida começa a competir com esse carrinho, já sabe do que estamos falando. Precisa de mais referências? Pois saiba que o tal carrinho tem o singelo apelido de comet

Apesar de o trajeto de 1.300 metros não durar mais do que um minuto e meio, a experiência é inesquecível. Tanto que a pista para os comets não é uma qualquer: ela foi construída e usada em 2002 nos Jogos Olímpicos de Inverno, cuja anfitriã foi a vizinha Salt Lake City, para as competições oficiais. 

O trajeto no carrinho é feito sempre na companhia de atletas experientes, e com sorte você vai encontrar por lá Shauna Rohbock, que tem no currículo uma medalha olímpica e cinco de campeonatos mundiais de bobsled.

Bastante simpática, a campeã explica aos visitantes os princípios do esporte, onde se segurar no carrinho e os impactos da força G a serem experimentados no trajeto. E, na hora de ir para o equipamento, com o acesso feito pelos veículos do próprio parque, é ela quem conduz o bobsled.

Ao fim do trajeto, fica difícil deixar de lado a sensação de euforia, mesmo com certa dor. Por causa da rapidez do trajeto e das vibrações, é quase impossível se segurar sem algumas batidas nos braços e pernas, se você não for um profissional. Mesmo com as eventuais manchas roxas, a breve aventura vai deixar uma sensação de quero mais. Pena que o valor – a bagatela de US$ 175 – dá direito a apenas uma descida.

O Parque Olímpico tem ainda outras atrações, como um museu com artigos usados por atletas, fotos antigas e, claro, uma lojinha. 

Menos emoção. Caso você queira dar um tempo nos esquis, mas ache que o bobsled não é para você, saiba que há outras atividades disponíveis na região. O snowshoeing, por exemplo, é uma caminhada por trilhas pelas montanhas nevadas, e pode ser realizada em família – os preços começam a partir de US$ 70 por pessoa, dependendo do tamanho do grupo. 

Para quem gosta de uma pescaria, há programas de quatro horas que incluem iscas, lanche e guias dispostos a acompanhar tanto iniciantes como experientes. O pacote para um grupo de US$ 475. 

Mas se você quiser ter uma vista panorâmica de Park City, que tal um passeio de balão? A decolagem ocorre na primeira luz do amanhecer e o valor é de US$ 250 por adulto. Há ainda o passeio de dog sledding, trenó puxado por cachorros, snowmobile (moto de neve) e outras atividades com preço sob consulta. Todos os programas são operados pela Wasatch Adventures

 

MIMOS PARA RELAXAR EM SPAS DE LUXO

Deixe o frio e a neve lá fora e relaxe em um ambiente com temperatura agradavelmente controlada, aos 25 graus, com massagistas, piscinas aquecidas, limpeza de pele, relaxamento facial, duchas, espaço com lareira cheio de comidinhas... É o maravilhoso mundo dos spas, e os dois melhores do Estado de Utah estão em Park City. Não é necessário ser hóspede para usufruir da mordomia por algumas horas. 

O atendimento é personalizado desde a entrada, e os cuidados com os detalhes são bastante notáveis no spa do cinco-estrelas Stein Eriksen Lodge. De acordo com o pacote escolhido, o visitante escolhe até os aromas dos produtos a serem aplicados na pele. No vestiário, você encontra roupão e sandálias, num armário com seu nome. A partir daí, é hora de pensar só em você – como relaxando depois do esqui com uma massagem nos pés (US$ 185).

Cara a cara com 007. Dono do maior spa de Utah, o Montage Deer Valley fica encravado no alto de uma cadeia de montanhas. Favorito das celebridades, quem vai ao spa corre ao risco de dar de cara com algum famoso – encontramos o ator Pierce Brosnan, que viveu nos cinemas o agente secreto 007, passeando tranquilamente. 

Não tiramos foto com o ator, mas com o simpático Monty, cão são-bernardo mascote do hotel. Depois de tantas distrações, vale dizer que o spa do Montage é um verdadeiro parque de diversões dos cuidados com a mente e com o corpo. Apenas a piscina subterrânea, aquecida, é maior do que a da maioria dos hotéis da região. Os banhos minerais custam a partir de US$ 150. 

 

Mais conteúdo sobre:
Esqui Utah Snowboard Olimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.